Atlético-MG escolhe presidente que assumirá o cargo com vários desafios

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Pedro Souza/Clube Atlético Mineiro

    Sérgio Sette Câmara (centro) deve ser o próximo presidente do Atlético-MG

    Sérgio Sette Câmara (centro) deve ser o próximo presidente do Atlético-MG

O dia vai ser de muita movimentação nos bastidores do Atlético-MG. O clube escolhe, nesta segunda-feira, o presidente para os próximos três anos. O vencedor da disputa entre Sérgio Sette Câmara e Fabiano Lopes Ferreira vai assumir o comando do Galo diante de uma série de desafios, sendo o maior deles a remontagem da equipe de futebol, que não foi bem em 2017.

Reconstruir o futebol atleticano, no entanto, não vai ser fácil. Ao contrário do que aconteceu em anos anteriores, o orçamento para 2018 está menor. São R$ 30 milhões a menos em comparação com 2017.

Além da questão financeira, outro ponto adverso neste momento é a falta de tempo. No dia 17 de janeiro o Atlético já tem jogo pelo Campeonato Mineiro. Em caso de título do Flamengo na Copa Sul-Americana, o Galo pode jogar pela Libertadores no dia 31 do próximo mês. É pouco tempo para negociar e contratar os reforços necessários.

Outro desafio do próximo mandatário atleticano é iniciar a construção do estádio. O Conselho Deliberativo já aprovou a negociação que envolveu o Diamond Mall para o clube levantar R$ 250 milhões dos R$ 410 milhões necessários. A expectativa é que as construções comecem ainda no primeiro semestre de 2018, para que ele seja inaugurado na segunda metade de 2020. Portanto, tudo dentro do próximo mandato.

Os dois candidatos

A única certeza é que mais uma vez o Atlético vai ser comandado por advogado. Assim como Daniel Nepomuceno, que entrega o cargo oficialmente nesta segunda-feira, os candidatos Sérgio Sette Câmara e Fabiano Lopes Ferreira fizeram carreira no Direito. É entre os dois que os 398 conselheiros com poder de voto vão ter de escolher para comandar o clube no triênio 2018/2020.

Sérgio Sette Câmara está diretamente ligado ao futebol atleticano há quase 20 anos. Já foi vice-presidente do clube, numa época em que o Atlético contava com quatro vices, além de ter exercido a função de assessor especial do presidente durante a gestão de Alexandre Kalil, entre 2008 e 2014. Atualmente, no clube, Sette Câmara exercia o cargo de vice-presidente do Conselho Deliberativo, o que o tornou um nome natural da situação.

Fabiano Lopes Ferreira é um antigo opositor da atual diretoria do Atlético. Embora seja a primeira vez que encabece uma chapa, não é a primeira eleição dentro do clube. Lopes Ferreira foi candidato a vice-presidente em 2011, na chapa de Irmar Ferreira, derrotado por Alexandre Kalil. Conselheiro do Atlético há mais de 20 anos, Fabiano Lopes Ferreira não tem nenhuma experiência no futebol profissional. A única atividade dentro do clube foi no Conselho Deliberativo, quando ocupou a função de fiscalizar as finanças do clube.

Situação tem grande favoritismo

A tendência é por uma vitória tranquila da chapa encabeçada por Sérgio Sette Câmara, que tem Lásaro Cândido da Cunha como candidato a vice. Alguns fatores deixam claro como a situação política dentro do Atlético é bem tranquila. As recentes conquistas em campo e presença constante na Copa Libertadores dão força ao trabalho desenvolvido pela diretoria alvinegra, que já teve Alexandre Kalil como presidente e agora é liderada por Daniel Nepomuceno.

Aliás, a participação do atual prefeito de Belo Horizonte tem um peso significativo. Mandatário que venceu a Copa Libertadores de 2013, Kalil já manifestou publicamente seu apoio a Sérgio Sette Câmara. "Vamos para uma disputa e tenho certeza que o Sérgio Sette Câmara vai sair com uma vitória expressiva. É uma nova direção, apesar de ser o mesmo grupo, é uma nova mentalidade, mas é um grupo sólido que transformou o Atlético nesta potência que é hoje. O Daniel sai com o dever cumprido, teve seus altos e baixos, mas sempre mantendo um nível, esse grupo precisa ser valorizado", disse o político, em entrevista à Rádio Itatiaia.

Em setembro a atual diretoria aprovou no conselho deliberativo a negociação envolvendo o shopping Diamond Mall para que o dinheiro seja usado na construção do estádio do clube. Eram precisos 260 votos favoráveis, mas foram 325 conselheiros que aprovaram a venda de 50,1% do empreendimento por R$ 250 milhões. Uma vitória esmagadora da situação, contra apenas 12 votos contra. Entre eles, o de Fabiano Lopes Ferreira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos