Palmeiras quer goleiro para fechar planejamento e espera reforços de luxo

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters / Kai Pfaffenbach

    Rafinha comemora com Vidal mais um título do Bayern no Campeonato Alemão

    Rafinha comemora com Vidal mais um título do Bayern no Campeonato Alemão

No planejamento traçado pelo Palmeiras para 2018, seria necessário reforçar a lateral esquerda, ter um zagueiro que pudesse ter tempo para se adaptar completamente ao time e contratar um goleiro mais jovem do que Fernando Prass e Jaílson, que pudesse seguir por anos no clube. Dessa lista, falta apenas concretizar o difícil acerto com o Atlético-PR pela liberação antecipada de Weverton.

Com Diogo Barbosa, o retorno de Victor Luís e o acerto feito no meio do ano com Emerson Santos, a diretoria de futebol considera que a maior parte do planejamento já foi cumprido. Resta agora "estrelar" o elenco.

Neste conceito, o time ficará no aguardo de outros nomes especulados como Rafinha e Gustavo Scarpa. Os dois são jogadores de impacto, que chegariam com condições de assumir a titularidade imediata, mas que reforçam setores que não estão avaliados como os mais carentes.

Assim, o clube pode apenas aguardar o lateral direito se liberar do Bayern de Munique, sem ter pressa para resolver a situação. É o mesmo caso do meia do Fluminense. O Palmeiras pode analisar com calma os pedidos de empréstimo da equipe carioca sem cometer "loucuras" para que o negócio seja fechado.

A boa situação econômica do clube, que pretende zerar as suas dívidas no meio de 2018, também é fundamental para que tal postura seja mantida.

Lucas Lima já entrou nessa categoria. Considerado reforço de seleção, ele chegou com pompa, mas só teve o acordo porque não teria vínculo com o Santos em janeiro do ano que vem. Assim, a negociação foi feita diretamente entre clube e jogador, com pagamento de luvas e comissões, mas sem custos de transação. O meio-campo ganhará qualidade, mas não estava identificado como a maior carência do elenco.

Outros nomes especulados, como Bernard e Ricardo Goulart vivem situações semelhantes. Eles ainda têm incertezas sobre os respectivos futuros na Europa e na China. Caso optassem por voltar ao Brasil, o Palmeiras seria um dos fortes concorrentes para repatriá-los. Os dois mantêm contato direto com o diretor de futebol, Alexandre Mattos.

Pablo entraria na lista como mais uma "oportunidade de mercado". O zagueiro foi oferecido ao clube, mas ouviu um não aos seus primeiros pedidos. As exigências foram consideradas muito além do aceitável. A postura do empresário do atleta também não agradou e o negócio agora é praticamente inviável.

Ainda que a chegada do zagueiro reforçasse um setor que perderá Yerri Mina no meio do ano, o negócio não é dado como essencial pela confiança depositada em Edu Dracena, Luan, Juninho, Pedrão e Emerson Santos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos