Peres banca posição pessoal ao afastar Robinho do Santos em 2018

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ricardo Saibun/AGIF

    Estafe de Robinho criticou postura do novo presidente do Santos sobre o jogador

    Estafe de Robinho criticou postura do novo presidente do Santos sobre o jogador

José Carlos Peres, presidente eleito do Santos, começou o primeiro dia de trabalho com tudo encaminhado para Robinho voltar ao clube paulista, mas terminou o dia com as duas partes bem longe de um acordo. Tudo isso por conta de uma declaração polêmica do novo mandatário. O cartola disse que, no seu entender, Robinho precisa primeiro encerrar seu processo judicial na Itália caso queira retornar ao time da Vila. O atacante, que nega ter cometido o crime, foi condenado a nove anos de prisão, em primeira instância, por estupro. 

O UOL Esporte apurou que trata-se de uma posição pessoal de Peres. A decisão do novo presidente santista, inclusive, foi tema de campanha dele. O dirigente já havia se posicionado da mesma forma sobre o tema durante o processo eleitoral, mas foi orientado a não tocar mais no assunto para não correr riscos de perder votos.

O tema Robinho ainda divide a torcida santista. Alguns o consideram traidor, principalmente por ter rejeitado uma proposta do clube para jogar no Atlético-MG, enquanto a outra metade defende o perdão ao atleta e o vê como um ídolo eterno, após os títulos brasileiros de 2002 e 2004. Com a notícia recente de sua condenação por estupro na Itália, a pressão em torno do tema tornou-se ainda maior. 

Casado há 44 anos, Peres é pai de uma filha única, Daniela Peres, e traz para o seu mandato diversos projetos envolvendo mulheres. Em seus primeiros discursos após a eleição, o cartola falou em reforçar o futebol feminino do Santos contratando jogadoras de expressão para o time, como Marta e Cristiane. 

O presidente santista também estudou o envolvimento das torcedoras com o clube. Um levantamento apresentado por ele mostrou que o Santos possui apenas 16% de mulheres em seu quadro associativo, diferentemente dos rivais que possuem média de 48% a 50%. Neste cenário, contratar um jogador condenado por estupro, por maior que seja a idolatria do torcedor por Robinho, seria um contrassenso.

Apesar da declaração polêmica, rebatida pelo estafe de Robinho, a assessoria de Peres alega que o dirigente torce para que o atacante seja inocente no caso e que não descarta a contratação do jogador.

Condenado em primeira instância na Itália

A nona sessão do Tribunal de Milão condenou o atacante Robinho a nove anos de prisão por "violência sexual em grupo" contra uma jovem albanesa em uma boate da capital da Lombardia em janeiro de 2013, durante a sua passagem pelo Milan, da Itália. O jogador nega as acusações (leia abaixo).

Segundo a imprensa italiana, Robinho teria praticado o ato com outras cinco pessoas. A jovem tinha 22 anos de idade na época. O atleta foi condenado na nona seção do Tribunal de Milão, presidida por Mariolina Panasiti.

Em sua resolução, a corte afirmou que os acusados "abusaram das condições de inferioridade psíquica e física da pessoa agredida, que havia ingerido substâncias alcoólicas, com meios insidiosos e fraudulentos, de forma que bebeu até ficar inconsciente e sem condições de se defender".

Ao UOL Esporte, a advogada de Robinho, Marisa Alija negou qualquer participação do jogador no incidente e enviou a seguinte declaração: "Sobre o assunto envolvendo o atacante Robinho, em um fato ocorrido há alguns anos, esclareço que meu cliente já se defendeu das acusações, afirmando não ter qualquer participação no episódio", explicou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos