Real sofre contra Romarinho, mas busca virada e pega o Grêmio na final

Do UOL, em São Paulo

Não era a Bombonera, nem semifinal de Libertadores, mas a frieza que fez o nome de Romarinho em 2012 voltou a aparecer no Mundial de Clubes. Diante do poderoso Real Madrid, o brasileiro foi a luz de inteligência do Al Jazira, sendo recompensado com o gol que deixou o banco de reservas espanhol atônito. O favoritismo do Real, contudo, foi comprovado nos últimos minutos do jogo: vitória por 2 a 1, com gols de Cristiano Ronaldo e Gareth Bale.

Para o duelo da semifinal, o Real Madrid poupou algumas de suas estrelas. Sergio Ramos, Carvajal e Kroos viram do banco de reservas Romarinho abrir o placar para o Al Jazira. Voltando de lesão, Gareth Bale entrou em campo apenas aos 37 minutos do segundo tempo, segundos antes de marcar o gol da vitória.

Classificado de maneira mais difícil do que imaginava, o Real Madrid agora terá o Grêmio pela frente. A decisão do Mundial de Clubes acontecerá no sábado (16), às 15h (de Brasília).

Quem foi bem: Romarinho

A atuação de Romarinho não foi destaque apenas pelo gol marcado. As raras jogadas ofensivas do Al Jazira sempre saíam de seus pés. Até no gol anulado a participação do brasileiro foi destaque. Foi ele quem desarmou no meio de campo e tocou em profundidade para deixar dois companheiros de equipe livres. Nos últimos minutos, o cansaço já era evidente e Romarinho não teve forças para conseguir buscar o empate.

Quem foi mal: Benzema

Em um jogo com tantas chances, Benzema foi o destaque negativo do Real Madrid. Em má fase, o francês parou duas vezes na trave e deixou o campo sob vaias da torcida presente. Para piorar, Gareth Bale, que entrou em seu lugar, foi o responsável pelo gol da vitória espanhola.

Um paredão árabe

AP Photo/Hassan Ammar

Até o gol de Romarinho, a partida tinha um nome de destaque: Ali Khaseif. Foi graças ao goleiro de 30 anos que o Real Madrid não foi para o vestiário com pelo menos seis gols marcados. Em uma sequência absurda, o arqueiro foi fazendo uma defesa impressionante atrás da outra.

A principal delas aconteceu logo aos seis minutos. Após escanteio, Cristiano Ronaldo cabeceou, a bola desviou e Khaseif defendeu no reflexo. E não parou por aí: chute de Modric, de Cristiano Ronaldo, cabeçada de Benzema... todas elas pararam em ótimas defesas do goleiro do Al Jazira.

O conto de fadas de Khaseif terminou de maneira melancólica. Aos cinco minutos do segundo tempo, uma lesão na coxa direita fez com que o arqueiro deixasse o campo para o lugar de Alsenaani.

Olha o Romarinho!

Hassan Ammar/AP

O silêncio da Bombonera em 2012 se transformou em perplexidade nos Emirados Árabes. E o responsável pelos dois momentos foi o mesmo: Romarinho. A frieza surpreendente para dar uma cavadinha diante do Boca foi vista novamente diante da marcação de Varane. Contra a marcação do zagueiro francês do Real Madrid, o atacante cortou para a perna esquerda e bateu no canto de Navas, que se esticou e não evitou o improvável gol do time árabe.

O gol diante do poderoso Real Madrid levou as redes sociais ao delírio. Até o Corinthians entrou na brincadeira com seu ex-jogador.

Árbitro de vídeo demora dois minutos, mas anula corretamente

Amr Abdallah Dalsh/Reuters

A pressão do Real Madrid resultou em duas bolas nas redes ainda no primeiro tempo. Nos dois lances, contudo, o árbitro Sandro Meira Ricci apontou irregularidades e anulou os gols espanhóis.

O primeiro lance foi mais simples: Cristiano Ronaldo empurrou o zagueiro de maneira faltosa. O segundo, porém, causou polêmica. Aos 31 minutos, Isco cruzou e Casemiro marcou de cabeça. No momento do lance, Ricci apontou uma irregularidade, mas logo voltou atrás. Com a polêmica, pediu ajuda do árbitro de vídeo.

Passaram mais de dois minutos até que a decisão viesse: gol irregular e anulado. O árbitro de vídeo apontou a participação direta de Benzema no lance. O atacante estava em posição de impedimento.

O árbitro de vídeo voltaria a aparecer aos 2 minutos do segundo tempo, mas contra o Al Jazira. Após Romarinho iniciar o contra-ataque, Bousoufa recebeu em condição irregular e balançou as redes. Ricci pediu ajuda da tecnologia e anulou o tento árabe.

Cristiano Ronaldo aproveita falha da defesa

REUTERS/Amr Abdallah Dalsh

Com vantagem no placar e se defendendo em todo instante, o Al Jazira tinha uma missão importante: não deixar Cristiano Ronaldo livre. A tática não funcionou aos 7 minutos do segundo tempo. Fares vacilou na marcação e Modric tocou para o português. Livre, o atacante fuzilou as redes de Alsenaani e se tornou o maior artilheiro dos Mundiais, com seis gols.

A noite não era de Karim Benzema

Em um jogo em que só o Real Madrid atacava, Benzema teve diversas chances de ser herói. A trave, contudo, se colocou no caminho do francês. Aos 20 minutos da segunda etapa, Modric deu ótimo passe dentro da área para o atacante, que carimbou a trave de Alsenaani. Seis minutos mais tarde, o francês recebeu mais uma vez livre, mas pegou mal na bola e carimbou o poste novamente.

A fraca atuação do francês não foi perdoada pela torcida. Aos 37 minutos, Benzema deixou o campo sob vaias para a entrada de Gareth Bale.

Gareth Bale decide em menos de um minuto

O galês precisou de um minuto para fazer mais que Benzema. Aos 38 do segundo tempo, Bale recebeu na área e mandou de primeira para o gol. Cristiano Ronaldo ainda tentou completar de letra, mas a bola morreu no fundo das redes. O tento se transformou no mais rápido de um suplente na história dos Mundiais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos