Nada de "bunda lá atrás": Grêmio quer ir para cima do Real Madrid na final

Luiza Oliveira

Do UOL, em Abu Dhabi (EAU)

O Grêmio já se prepara e tenta montar as suas estratégias para enfrentar o poderoso Real Madrid na final do Mundial de Clubes. O técnico Renato Gaúcho sempre disse que não iria mudar a forma de jogar do time, nem iria adotar uma postura defensiva. Os jogadores têm o mesmo discurso do treinador.  Para Edilson, esperar atrás não será uma boa ideia.

"Acredito que tem que ser o que a gente fez na temporada, a gente não pode mudar uma coisa que não está acostumado a fazer. A gente tem que tentar fazer o nosso melhor do jeito que fizemos na temporada. Acredito que se a gente colocar a bunda lá atrás e esperar o Real Madri não é um caminho porque são jogadores de altíssimo nível e podem bater de longe e infiltrar. Então pouco a pouco vai minando a nossa equipe e a gente vai acabar levando o gol. Acredito que a gente tem que fazer o nosso jogo respeitando a equipe deles, tentar também jogar e não só se defender", disse.

Na última quarta-feira, os jogadores assistiram à vitória do Real Madrid sobre o Al Jazira. O time local teve uma postura defensiva e quase conseguiu a classificação após começar vencendo por 1 a 0. Apenas no fim da partida, a equipe levou a virada e perdeu por 2 a 1.

Ramiro diz que o Grêmio não jogará como a equipe árabe e atuará de igual para igual. "Acho que a equipe da casa procurou se defender e jogar no contra-ataque. Teve a felicidade de fazer um gol ainda no primeiro tempo, o que deu uma certa tranquilidade para ele conseguirem se defender mais ainda. Mas acho que a gente tem que jogar de igual para igual, buscar o gol também da mesma forma que vem enfrentando todos os adversários, respeitando muito e reconhecendo a qualidade do time adversário. Mas também sabemos que temos méritos para jogar numa final de Mundial e nós vamos jogar para vencer", afirmou.

"Acho que foi um jogo à parte em função do Al Jazira estar muito fechado na defesa. E por isso o Real Madrid teve que se lançar todo para o ataque, dando oportunidades de contra-ataque. As posturas tanto do Real Madrid quanto a nossa vão ser diferentes do Al Jazira. A gente vai procurar vencer para levar esse título para Porto Alegre", completou Ramiro.

Uma das maiores preocupações da equipe é como parar Cristiano Ronaldo. O melhor jogador do mundo marcou um dos gols da partida contra o Al Jazira. O zagueiro Kannemann que já o enfrentou (e perdeu) na final do Mundial de Clubes de 2014 quando atuava pelo San Lorenzo sabe como é difícil parar o jogador e não tem dicas para os colegas.

"Não sei se alguém ou algum jogador tem no mundo isso. Mas vamos tentar fazer um trabalho difícil para ele", afirmou.

Edilson será um dos responsáveis por fazer a marcação e vem estudando bem o CR7.  "A gente sempre tem que estudar os adversários, antes a gente via o Cristiano jogando mas olhávamos para o Real Madrid. Hoje não, hoje a gente estava olhando mais no posicionamento dele, para onde gosta de chutar mais, onde infiltra mais. Esses olhares de agora são diferentes de como a gente olhava antes. Agora tem que estudar todos os tipos de jogadas dele, é uma equipe que não é previsível. Eles podem fazer 50 mil dribles diferentes porque são jogadores de altíssimo nível", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos