Pleno do STJD amplia punição à Ponte Preta: seis jogos com portões fechados

Do UOL, em São Paulo

Foi julgado nesta quinta-feira (14) o recurso da Ponte Preta para a redução da pena imposta pelo STJD (de cinco jogos com portões fechados e multa de R$ 30 mil) por conta da invasão ao Moisés Lucarelli no jogo da penúltima rodada do Brasileirão, contra o Vitória. Na decisão final do caso, o Pleno do STJD ampliou a punição: para seis jogos sem torcida.

Ao menos, a Ponte Preta conseguiu reduzir o valor da multa recebida no julgamento do dia 4 de dezembro, em primeira instância: de R$ 30 mil para R$ 20 mil.

A Ponte Preta segue com o Moisés Lucarelli interditado. O estádio só será liberado depois que 'o clube comprove que o local esteja em condições de realizar os jogos com infraestrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização'. A liberação está condicionada a uma vistoria da CBF com laudo constatando sua regularidade.

Reprocução/Premiere FC
Por conta da invasão ao gramado, a Ponte Preta foi enquadrada nos artigos 211 e 213 (incisos I, II e III) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva e corria o risco de ser punida com a perda de até 30 mandos de campo (dez por cada inciso) - além de uma multa que poderia chegar a R$ 400 mil (R$ 100 mil pelo art.211 e R$ 100 mil por cada inciso do art.213).

Portanto, apesar do aumento da pena no Pleno do STJD, a punição final é encarada de forma positiva para a Ponte Preta, que já trabalha para desinterditar o Moisés Lucarelli ao menos até o início do Paulistão, em janeiro.

"Parte dos auditores chegaram a sugerir oito e multa de 80 mil. O  advogado João Felipe Artioli fez a defesa do time e conseguiu impedir que a pena aumentasse ainda mais - lembrando que, pelo pedido original, poderiam ser até 30 com portões fechados ou mando em outra cidade", diz comunicado do clube.

Relembre o que aconteceu

O jogo entre Ponte Preta e Vitória foi encerrado aos 39min do segundo tempo, por falta de segurança, depois que torcedores do time campineiro invadiram o campo do Moisés Lucarelli. Na súmula, o árbitro revelou que aguardou o tempo previsto para reiniciar o jogo, mas ouviu do responsável pelo policiamento que não havia condições de dar segurança ao jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos