"Todos são descartáveis", reclama candidata a vice corintiana após exclusão

Dassler Marques, Diego Salgado e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Lourdes (à esquerda) foi retirada da candidatura de vice-presidente no Corinthians

    Lourdes (à esquerda) foi retirada da candidatura de vice-presidente no Corinthians

Anunciada na última semana como candidata a vice-presidente do Corinthians na chapa de Andrés Sanchez, a conselheira Maria de Lourdes Jacob Mattavo protestou por ser excluída do posto. Em mensagem enviada a outros membros do grupo, Lourdes chegou a dizer que "na política, todos são descartáveis em nome do poder". 

Em contato com a reportagem, Andrés foi cauteloso e afirmou que a situação estava sendo resolvida internamente. Atual vice-presidente e um dos líderes da campanha de Sanchez, André Luiz de Oliveira confirmou a decisão para a reportagem do UOL Esporte.

Também na última semana, em entrevista ao UOL, Andrés havia indicado a possibilidade de uma mudança até o dia 19, data limite para o registro das chapas. "A princípio são elas", com referência a Edna Murad, que segue como candidata a vice, e Lourdes, retirada do grupo. O principal favorito para herdar a posição é Osmar Basílio, atual presidente do Conselho de Orientação Fiscal (CORI). Ele negou ter sido convidado. 

Em seu desabafo, Lourdes anunciou a decisão de ser excluída do grupo. 

"A vida é surpreendente. Às vezes precisamos de alguns choques para compreender a realidade e evoluirmos como seres humanos. Pois bem, como muitos sabem e de acordo com anunciado na mídia, fui convidada a concorrer pelo cargo de 2ª Vice Presidente do Corinthians na Próxima gestão, ao lado do Andrés Sanchez. Após certa insistência e pensando no bem do clube, aceitei a proposta com alegria, pois eu via muitas oportunidades de contribuir com algo que faz parte da minha vida há 40 anos.

No entanto, no dia de Ontem, me foi comunicado que devido a questões de duas Mulheres como vice presidentes em um clube de futebol ser inadmissível, fui cortada da chapa. Confesso que na hora me senti chateada, triste, com o que havia acontecido. De certo modo fiquei sem chão. Hoje, percebi que estes acontecimentos me ensinaram muito. Que na política, todos são descartáveis em nome do Poder, e que o futebol infelizmente ainda é extremamente machista no Brasil. Visto isso, por enquanto me afastarei da política do clube, e peço por gentileza, que momentaneamente respeitem meu espaço evitando tocar no assunto. Mas nunca se esqueçam, a luta não para. E que sempre aconteça o melhor ao Corinthians", declarou a conselheira. 

Em entrevista ao UOL na semana passada, Andrés havia justificado a escolha: "são mulheres que frequentam o clube há mais de 40 anos, com familiares e tudo. Conhecem muito bem o clube. Eu acho que no futebol brasileiro e mundial precisa inserir mulheres. Elas têm capacidade, têm condições, são professoras formadas. São mães de família e têm de aprender. No clube poucas pessoas conhecem que nem elas. Elas sabem as deficiências, as necessidades, as melhorias, as coisas que estão ruins. Isso vai ser importante", comentou. 
 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos