Ascensão após saída de Cuca deixa Palmeiras esperançoso com futuro de Borja

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro

    Borja comemora gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro

Ficou longe de ser um ano memorável para Borja. Na verdade, o atacante colombiano tem mais chances de figurar em uma lista de decepções do mercado do que em um levantamento de boas contratações. Mas a ascensão do jogador após a saída de Cuca animou o Palmeiras.

Com a troca de treinador, a análise interna é a de que o atacante passou a ter mais chances e um desempenho melhor. A visão é baseada muito mais no dia a dia do atleta, nos treinos, do que propriamente em campo.

Com Alberto Valentim, Borja passou a ter mais chance e teve uma sequência na titularidade até mesmo com Deyverson fazendo gols.

Outra mudança do auxiliar em relação ao ex-treinador foi a forma de pensar o jeito de armar o time. Com Cuca, o colombiano precisaria correr o campo inteiro atrás da bola e se dedicar muito à marcação. Com Valentim, a ideia era que a equipe proporcionasse mais oportunidades ao estilo de jogar do atacante.

Também por isso, a posição de camisa 9 não foi colocada na lista de prioridades para reforços. A lateral esquerda, o meio-campo e o gol foram as que receberam mais atenção da diretoria.

Miguel Borja foi contratado por cerca de R$ 35 milhões, disputou 43 partidas e fez 10 gols. Todo o investimento foi feito pela Crefisa, que ainda não colocou dinheiro em contratações para 2018.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos