Presidente do Botafogo diz que Santos não o procurou por Jair Ventura

Do UOL, em São Paulo

  • Thiago Ribeiro/AGIF

O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, chamou de "especulações" as notícias que dão conta do interesse do Santos no técnico Jair Ventura. De acordo com o dirigente, o clube paulista não o procurou para tratar do assunto.

"Temos que aguardar. Ver se há algum fundo de verdade nessas especulações, que são muito comuns nessa época. 'Aguardar' é a palavra que norteia nosso trabalho", afirmou, em entrevista à "Rádio Tupi".

O UOL Esporte apurou que o Santos avançou nas tratativas com Jair Ventura. O treinador pediu cerca de R$ 400 mil mensais para fechar com o clube paulista. O valor, no entanto, já incluiria os custos com o auxiliar-técnico, Emílio Faro, e o preparador físico, Ednilson Sena, profissionais de confiança de Jair.

Além do valor salarial, o Santos deve desembolsar R$ 860 mil ao Botafogo para pagar a multa rescisória de Jair Ventura, que tem contrato com o clube carioca até dezembro de 2018.

Venda de Bruno Silva depende do Cruzeiro, diz presidente

Na mesma entrevista, Carlos Eduardo Pereira afirmou que o que separa de Bruno Silva do Cruzeiro é uma divergência em relação à data do pagamento. O clube mineiro deve cerca de R$ 50 milhões a nove clubes ao redor do mundo por não pagamentos em negociações por jogadores e a equipe carioca teme um calote.

"O que ocorre em relação ao Cruzeiro é uma divergência sobre a data do pagamento. O Botafogo quer que o pagamento seja feito o mais cedo possível para que os jogadores possam se apresentar já nos novos clubes. O Rony se apresentar ao Botafogo, e o Bruno, ao Cruzeiro", explicou Pereira, citando o atacante Rony, que será envolvido no negócio.

O Cruzeiro deverá desembolsar R$ 4 milhões para contratar Bruno Silva. "Enquanto não houver o pagamento, o Botafogo não fará a liberação do jogador nem a liberação de nenhuma documentação a respeito do jogador. Depende fundamentalmente do Cruzeiro. Quanto mais rápido o Cruzeiro fizer o pagamento que combinou com o Botafogo, teremos condições de realizar o negócio", explicou o presidente.

Confira outros trechos da entrevista de Carlos Eduardo Pereira:

Mercado de transferências

"Todas as sondagens que temos feitos, temos encontrado bastante dificuldades pela falta de flexibilidade e pouca disposição dos atletas e seus empresários de ajustarem suas pedidas para uma posição real. As pedidas têm sido muito altas, bastante puxadas. Estamos tentando fazer o possível para chegar a um entendimento com os jogadores que buscamos, que o Jair pediu, para que caiba no nosso orçamento. Não vamos nos afastar de uma política de austeridade, até porque o Botafogo tem ainda inúmeras dívidas e compromissos. Não temos como não honrá-los em 2018 e nos próximos anos".

Acordo de patrocínio com a Caixa

"Esperamos alguma posição quanto a valores ao longo da próxima semana. Já estive com o presidente (da Caixa) Gilberto Occhi e com o presidente (da Câmera dos Deputados) Rodrigo Maia. A questão da renovação já está tomada, e o Botafogo em 2018 contará com o patrocínio máster da 'Caixa Econômica Federal'".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos