Conselho do São Paulo aprova previsão orçamentária para 2018

José Eduardo Martins e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Ricardo Moreira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

    O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco

    O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco

O São Paulo fechou o ano em clima quente nos bastidores políticos. Nesta terça-feira à noite, no Morumbi, foi realizada a reunião do Conselho Deliberativo tricolor. Entre os assuntos abordados estava a aprovação da previsão orçamentária de 2018 e um pedido de aproximadamente R$ 87 milhões de suplementação para este ano. Com o clube tendo atingido R$ 181 milhões com a venda de jogadores, o departamento de futebol aumentou seus gastos e estourou em cerca de R$ 100 milhões o valor programado para a temporada - porém, teve superávit de 113 milhões.

O clube projeta investir em reforços até 50% do que for arrecado com venda de atletas no exercício do orçamento de 2018, da parte restante 38% serão destinados para pagamento de dívida e o que sobrar cobre outros gastos. Por outro lado, no balanço total, o clube também teve um superávit de R$ 18 milhões, sendo que estava previsto um déficit de R$ 8 milhões para o ano. Já a previsão de 2018 foi aprovada pelo Conselho. Como publicou o UOL Esporte, o clube projeta receber R$ 88 milhões com a venda de atletas em 2018.

A despesa total do departamento de futebol em 2018 está prevista em R$ 267 milhões. Logicamente, tais números são apenas uma projeção. No orçamento deste ano, por exemplo, o São Paulo estimava que arrecadaria R$ 60 milhões com venda e gastaria R$ 17,5 milhões na compra de atletas. Tais números foram superados. Só com a compra de Pratto, o Tricolor já desembolsou R$ 24 milhões.

Nos últimas temporadas, o São Paulo busca a recuperação financeira. No ano passado, o superávit foi de R$ 0,8 milhão, já em 2015 o déficit registrou R$ 72,5 milhões, enquanto que em 2014 fechou deficitário também em cerca de R$ 100 mil.

Visões diferentes

Durante a reunião também houve uma discussão entre o presidente Leco e o vice, Roberto Natel, Os dois discordam sobre a indicação feita pelo mandatário do atual diretor executivo de comunicação e marketing, Márcio Aith, ao Conselho de Administração. Segundo Natel, houve uma possível transgressão ao estatuto do clube na nomeação. Segundo o artigo 99 e parágrafo segundo do estatuto tricolor, não pode ser indicado para ser conselheiro independente alguém que tenha tido qualquer cargo permanente e ou preste serviço remunerado ao clube nos últimos três anos. 

Carta de Pinotti

No encontro também foram apresentadas as respostas do ex-diretor executivo de futebol, Vinícius Pinotti, sobre a mesada que pagou ao menos por seis meses, ao ex-gerente de marketing do clube, Alan Cimerman - demitido por conta de suposto envolvimento com esquema ilegal de venda de ingressos e camarotes em shows realizados no Morumbi.  De acordo com Pinotti, a verba seria uma "forma de prestar favor pessoal."     

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos