Devendo futebol e sem chance no Inter, Valdívia quer permanecer no Atlético

Enrico Bruno e Marinho Saldanha

Do UOL, em Belo Horizonte (MG) e em Porto Alegre (RS)

  • André Yanckous/AGIF

    Quem quer? 'Poko Pika' está emprestado, mas não sabe se ficará no Galo

    Quem quer? 'Poko Pika' está emprestado, mas não sabe se ficará no Galo

Emprestado pelo Internacional por um ano, Valdívia tem cerca de cinco meses para convencer a nova diretoria do Atlético-MG de que merece ficar mais tempo no clube. O atual vínculo com o Galo é válido até maio do ano que vem, mas o meia não tem seu futuro definido sequer para o início da próxima temporada. Com possibilidade remota de voltar à sua ex-equipe, o jogador reconhece que não mostrou um bom futebol, mas pede uma nova chance e faz planos para tentar estender seu empréstimo pelo menos até o fim de 2018.

Em seis meses de Atlético, o sentimento do meia é de que ficou devendo. Titular apenas depois da chegada de Oswaldo de Oliveira, Valdívia mesclou bons e maus momentos, mas nunca chegou a cair de vez nas graças da torcida. A autoavaliação é sincera.

"O sentimento não é de dever cumprido. Posso jogar mais, às vezes as coisas não acontecem como queremos. A gente trabalha forte para dar certo, mas às vezes não dá, acontece. Não posso dizer que o dever foi cumprido, eu poderia ter feito mais. Estava acostumado a fazer gols e aqui não balancei as redes muitas vezes. Espero que 2018 seja o meu ano aqui, de muita felicidade para poder ajudar mais o Galo", comentou o meia, que marcou apenas dois gols em 31 jogos com a camisa alvinegra.

"Quero mostrar mais, o Galo confiou em mim, fico feliz por isso. Meu contrato vai até maio, mas, se depender de mim, pode ir até o fim do ano. Não depende só de mim, vamos esperar o que irá acontecer", completou.

Valdívia também não anda com prestígio no Internacional. A imagem do jogador com a torcida ficou bastante abalada nos últimos tempos, primeiro por uma suposta negativa a jogar a Série B por conta da desvalorização que teria. Depois, pela declaração que torceria para o Grêmio na final da Libertadores. Tudo pesou e arranhou ainda mais a relação com os aficionados, que já não era boa depois do rebaixamento de 2016.

Desta forma, caso volte ao clube ao fim do vínculo com Atlético-MG, o 'Poko Pika' será repassado a outra equipe por empréstimo ou mesmo envolvido em negociação de forma definitiva. O mercado, aliás, é o único peso dele atualmente no clube. A direção do Inter vê Valdívia como um jogador valioso aos olhos dos demais clubes brasileiros. Até porque ouve, a cada negociação iniciada atrás de reforços, pedidos pelo empréstimo dele.

Recentemente, Valdívia chegou a ser citado por Fluminense e Botafogo nas negociações de Wellington Silva e Bruno Silva, respectivamente. O feedback do mercado, portanto, coloca o cabeludo com boas perspectivas fora do Inter.

O vínculo do jogador no Beira-Rio é até 2020 e a rejeição no Sul facilitariam um novo acordo com Atlético-MG. A partir de agora, seu futuro dependerá também das movimentações que surgirem paralelamente. Se o Inter perceber a possibilidade de reforçar o time usando Valdívia como moeda de troca, esta situação certamente será mais interessante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos