Fifa reduz pena para seis meses, e Guerrero está livre para disputar Copa

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Marcello Zambrana/AGIF

    O atacante Paolo Guerrero teve uma vitória importante no Tribunal de Apelações da Fifa

    O atacante Paolo Guerrero teve uma vitória importante no Tribunal de Apelações da Fifa

O Tribunal de Apelações da Fifa reduziu a pena por doping do atacante Paolo Guerrero para seis meses - até maio de 2018. A defesa do jogador foi comunicada nesta quarta-feira (20). O camisa 9 do Flamengo havia sido suspenso por um ano e está liberado para defender a seleção peruana na Copa do Mundo. O atleta foi flagrado com benzoilecgonina, o principal metabólito da cocaína.

Os advogados tentarão agora a absolvição na CAS (Corte Arbitral do Esporte) para que ele defenda o Rubro-negro já no Campeonato Carioca. O otimismo é considerável, principalmente em razão de que raramente o comitê de apelações modifica o veredicto do primeiro julgamento.

"É um avanço. Evidencia uma culpa muito menor. Esperamos que, no próximo recurso do CAS, acabe redundando em punição ainda menor e absolvição", comentou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello.

A expectativa é a de que a audiência e julgamento final ocorram ainda no mês de janeiro. Alguns precedentes foram utilizados pela defesa e seguirão em pauta na luta pela absolvição do atacante na última instância.

Um deles envolveu o tenista francês Richard Gasquet, que provou ter sido flagrado com cocaína através de contaminação acidental. Na ocasião, ele esteve em uma boate e passou a noite com uma mulher, que consumiu a droga. A contaminação através da saliva fez a pena de um ano sofrer redução para dois meses e meio até a absolvição.

Exames capilares, como aos que Guerrero também foi submetido, confirmaram que o tenista não consumia cocaína. Na defesa do peruano, a tese sustentada é a da ingestão de chá receitado por uma nutricionista e no ambiente restrito da seleção. Sendo assim, ele foi contaminado no "lugar mais seguro possível". A suspensão de um ano era absolutamente desproporcional - na análise da defesa - ao histórico e casos semelhantes.

Em relação ao Flamengo, a boa notícia ainda tem pouco efeito. O contrato de Guerrero vai até 10 de agosto de 2018. No panorama atual, ele só poderia jogar mais três meses pelo clube - com uma Copa do Mundo no meio. Efetivamente, o peruano atuaria por cerca de um mês com a camisa rubro-negra. Até por isso, a diretoria busca um nome de peso para o setor e negocia com o atacante Fred.

Veja abaixo o comunicado da Fifa:

Em 20 de dezembro de 2017, a Comissão de Apelação da Fifa decidiu aceitar parcialmente o recurso interposto pelo peruano Paolo Guerrero. Portanto, a decisão adotada pela Comissão Disciplinar no dia 7 de dezembro de 2017, na qual o jogador foi suspenso por um ano, foi parcialmente reduzida para o período de suspensão de seis meses.

Depois de analisar todas as circunstâncias específicas do caso, em particular o grau de culpabilidade do jogador, a Comissão de Apelação considerou que o período de seis meses é uma sanção apropriada.

Depois do controle de dopagem realizado no jogo válido pela eliminatória da Copa do Mundo da Rússia 2018, disputado em Buenos Aires, dia 5 de outubro, o jogador testou positivo para o metabólito benzoilecgonina, substância incluída na lista de proibições da Fifa, na classe S6 estimulantes.

Ao testar positivo, o jogador infringiu o art 6 do Regulamento Antidoping da Fifa. E, consequentemente, o art.63 do Código Disciplinário da Fifa.

O período de vigência da suspensão começou em 3 de novembro de 2017, data que o jogador foi suspenso de maneira provisória pela Comissão Disicplinar da Fifa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos