Bolada por Jô vem à vista, mas Corinthians promete pés no chão por reforços

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Ale Cabral/AGIF

    Jô deixa Corinthians só um ano depois de chegar ao clube

    Jô deixa Corinthians só um ano depois de chegar ao clube

O Corinthians receberá, nos próximos dias, toda a quantia à vista pela transferência do centroavante Jô, que assinará um contrato válido por três temporadas com o Nagoya Grampus-JAP.

Os valores brutos da transferência são de 10 milhões de euros (R$ 38 milhões) e, como o clube possui 100% de direitos econômicos dele, uma quantia considerada expressiva pelos dirigentes será injetada nos cofres. Apesar disso, os responsáveis pela gestão corintiana prometem tranquilidade e pés no chão no mercado que se abre. 

Em sequência à filosofia que apresentou bons resultados nos últimos anos, o Corinthians entende que não deverá fazer grandes investimentos, até porque as finanças do clube não vivem os melhores dias. No início da semana, vale lembrar, o clube recebeu aproximadamente metade do valor total da venda de 10 milhões de euros (R$ 38 milhões) de Guilherme Arana ao Sevilla-ESP.

O objetivo inicial do gerente de futebol Alessandro Nunes e do presidente Roberto de Andrade é concluir negociações que já estão andamento até a próxima semana. Mais especificamente, pelas chegadas do lateral esquerdo Juninho Capixaba, do Bahia, e também de Santiago Tréllez, atacante do Vitória. Outro nome que avança de forma considerável é o de Danilo Avelar, lateral canhoto do Amiens-FRA. 

Ainda não há consenso na administração sobre o que fazer em relação a um novo centroavante. Caso o clube consiga efetivamente anunciar Tréllez, é possível até mesmo que o turco Kazim e ele sejam os atacantes principais, ao lado do jovem Carlinhos. Mas, se encontrar uma boa oportunidade de mercado dentro das possibilidades financeiras, Fábio Carille poderá receber um novo camisa 9. 

A expectativa de que a injeção de recursos possa fazer o Corinthians intensificar esforços por Gustavo Scarpa, do Fluminense, também não é confirmada pelos dirigentes até o momento. Também há preocupação de que o mercado, sabedor da entrada de dinheiro nos cofres corintianos, seja inflacionado por equipes rivais. A ideia ainda é adquirir Scarpa por empréstimo com jogadores que não são prioridade, como por exemplo Lucca, ex-Ponte Preta. 

Na virada para 2016, enquanto viu seis titulares serem transferidos, o Corinthians acabou por gastar mais dinheiro que esperava em reforços buscados de maneira emergencial, casos, por exemplo, de Guilherme, Giovanni Augusto e André. A precaução é que um fenômeno semelhante não se repita desta vez e que a responsabilidade que era de Jô, agora em uma nova equipe, seja repartida por outros atletas. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos