Ex-Grêmio causa com Ferrari e é afastado após torcer por gaúchos em Mundial

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, em Lisboa (POR)

  • Instagram/Reprodução

Logo após chegar ao Sporting, em 2016, o argentino Alan Ruiz provocou controvérsia inesperada ao se dirigir para um dos primeiros treinos no CT do novo clube, em Alcochete, nos arredores de Lisboa, e estacionar a sua Ferrari na área destinada aos jogadores.

A princípio, nada de anormal, confere?

A suposta 'extravagância' podia ser compreendida a partir dos valores que envolveram a sua contratação: 4,8 milhões de euros pagos ao Colón, sua ex-equipe, 2,2 milhões de euros em luvas para o atleta mais 1 milhão de euros em comissão para intermediários. O problema todo, na verdade, girava em torno da cor de seu carro, o clássico vermelho, que também acompanha o rival Benfica. Ele foi obrigado a trocá-lo por um branco na época.

A tradicional Ferrari voltou, no entanto, após o ex-gremista ser afastado neste fim de ano e publicar imagem da 'máquina' em suas redes sociais.

A atitude surge num momento em que entrou em rota de colisão com o treinador Jorge Jesus por arremessar o agasalho no chão depois de ser vaiado e substituído em confronto contra o Vilaverdense, pela Taça de Portugal. Gerou insatisfação ainda ter postado na mesma altura fotos com a camiseta do Grêmio em apoio aos gaúchos no Mundial.

Conforme o UOL Esporte apurou, a despeito da admiração da comissão técnica, o meia de 24 anos dificilmente voltará a vestir a camisa do Sporting.

Entre outros motivos, pesa o alto salário, em torno de 1 milhão de euros anuais, e não ter jamais justificado o investimento em sua compra.

No primeiro semestre, após perder 9 kg e entrar em forma, ele chegou a embalar e conseguiu balançar as redes seis vezes em oito jogos. A sequência positiva foi abreviada, contudo, em virtude de uma lesão que o afastou dos campos pelo restante da temporada.

Naquele momento, o Sporting chegou a sinalizar com a possibilidade de ampliar o contrato de Alan Ruiz de 2020 para 2021, porém, não superou uma das excentricidades que cerca o argentino: o seu pai e empresário exigiu que o vínculo do irmão de Alan, Federico, que também atua em Alvalade, fosse prorrogado pelo mesmo período.

Em sua primeira temporada, Federico Ruiz foi emprestado para um time da terceira divisão portuguesa, se machucou e teve de parar por praticamente um ano. Somente agora ele retornou aos treinos no Sporting B. Longe dos gramados, 'ostentou' nas redes sociais por diversas vezes com carrões, caso da Ferrari vermelha, ou "nave", como prefere chamar.

Na última quarta-feira, enquanto o Sporting goleava o União da Madeira por 6 a 0, pela Taça da Liga, Alan Ruiz e Federico se divertiam no Playstation, como fizeram questão de registrar.

Motivo de processo disciplinar no clube, o ex-gremista esgotou a paciência do treinador Jorge Jesus. "Nesta casa, temos regras. Comigo e com o Sporting, quem não entender que há regras e comportamentos a cumprir tem mais dificuldades em apanhar o trem. Os jogadores podem ter, com o calor do jogo, algumas decisões, mas aqui não fingimos que somos surdos ou cegos e, por isso, o Alan Ruiz está trabalhando à parte com uma equipe técnica do Sporting e afastado", explicou, em entrevista coletiva.

"O jogador argentino tem muito sangue (quente): quando as coisas não saem bem, sai irritado do campo e acho que foi o que aconteceu, mas acho que não faltou ao respeito a ninguém", rebateu posteriormente o pai e agente do meio-campo, Federico.

Desde que deixou Porto Alegre, Alan Ruiz teve o seu retorno ao Grêmio cogitado e esteve ligado também a clubes como Cruzeiro e Atlético-PR. O Brasil não deve ser o seu destino dessa vez. Na atual temporada, ele fez oito jogos, somente um deles completo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos