Willian surpreende com artilharia no Palmeiras e se espelha em G. Jesus

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Adalberto Marques/Dia Esportivo/Estadão Conteúdo

    Willian: 17 gols e uma fase artilheira que surpeendeu o próprio no Palmeiras

    Willian: 17 gols e uma fase artilheira que surpeendeu o próprio no Palmeiras

Nem Willian esperava terminar o ano de 2017 como artilheiro do Palmeiras na temporada. Principal goleador do clube alviverde na temporada com 17 gols, o atacante não escondeu a surpresa pelo ano positivo com a camisa alviverde, mas quer ainda mais. No ano de 2018, somente os títulos servirão para o "Bigode" sair totalmente satisfeito. Para ajudar, a inspiração vem de quem fez sucesso recentemente pela equipe palestrina.

Nas horas vagas deste mês de dezembro, Willian vai descansar após um ano surpreendente. As duas lesões musculares atrapalharam o jogador na temporada, e o corpo "deu o recado" para este fim de ano. Um dos hobbies do artilheiro palmeirense é assistir futebol – algo longe da unanimidade entre os boleiros – e observar quem se encontra no mais alto nível. Hoje, Gabriel Jesus é uma das inspirações, como contou ao UOL Esporte.

"O que me prende na televisão é jogo de futebol, ainda mais quando são os grandes jogos, que te seguram mais. Gosto de ver o Brasileirão, tanto Série A quanto série B. Também vejo jogos internacionais, especialmente para observar. Agora gosto de ver o Manchester City pela forma que o Jesus e o Agüero jogam", afirmou Willian, antes de justificar a preferência pela equipe de Josep Guardiola.

"Até me vejo parecido em algumas características com os dois, sendo um centroavante mais baixo e que gosta de jogar em velocidade. Gosto de observar muito bem os dois; na verdade é sempre bom olhar os dois para aprender", acrescentou o camisa 29 do Palmeiras na temporada, em conversa exclusiva com a reportagem.

Além de mirar Jesus, destaque do Palmeiras no título brasileiro de 2016, Willian tratou de fazer uma avaliação da temporada. Os 17 gols e a artilharia em uma equipe competitiva, com dois centroavantes que custaram juntos mais de R$ 50 milhões (Miguel Borja e Deyverson), não entraram na previsão feita pelo próprio quando assinou com o Palmeiras.

REUTERS/Andres Stapff
Willian assumiu papel de destaque desde o início da temporada

"Claro que o pensamento é sempre positivo e as expectativas são as melhores, mesmo chegando no clube e sabendo da competitividade que tem aqui no Palmeiras. É obvio, não esperava ter marcado esta quantidade de gols. Mas, analisando com calma, poderia ter sido melhor ainda, mas a gente está sujeito a estes tipos de lesões como ocorreu", recordou Willian.

A satisfação pessoal, todavia, não apagou a frustração coletiva. O Palmeiras, apesar de todos os grandes investimentos, passou o ano sem títulos – eliminações precoces no Paulista (semifinal), Copa do Brasil (quartas de final) e Libertadores (oitavas de final), além do vice-campeonato brasileiro. Willian sabe que a cobrança aumentará ainda mais e tem a consciência de que o clube depende de taças em 2018.

"É se cuidar nas férias e descansar, mas ciente de que temos que iniciar bem o ano e ter um 2018 com títulos", encerrou o centroavante, um dos nomes que saíram em alta com o torcedor palmeirense depois de uma temporada sem títulos para o clube que mais investiu no futebol brasileiro em 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos