Xavi: "No Qatar não há democracia, mas as pessoas são felizes"

Do UOL, em São Paulo

  • Al-Sadd/Divulgação

O meia Xavi concedeu uma entrevista em que diz que no Qatar "não há democracia, mas as pessoas são felizes". A declaração do ex-jogador do Barcelona foi dada na esteira de sua opinião sobre uma necessidade de um referendo sobre a independência da Catalunha.

Em entrevista ao jornal "La Vanguardia", Xavi diz não ser a favor da independência catalã, mas de um referendo para que as pessoas digam se aprovam ou discordam. "Houve tensão, as pessoas foram às ruas e decidi me posicionar. Não a favor da independência, mas do direito de decidir".

Na entrevista, Xavi é confrontado com o fato de não haver eleições no Qatar. A família Al Thani controla o país e os partidos políticos são proibidos. Em 2005, chegou a ser prometida eleições parlamentares, que nunca aconteceram.

"Meu país não é o Qatar. É verdade que não há um regime democrático, mas as pessoas são felizes. Estão encantadas com a família real, andam com suas fotos em seus carros. Eles cuidam de seus cidadãos", afirmou.

País-sede da Copa do Mundo de 2022, o Qatar tem sido acusado de abuso de direitos humanos. Estima-se que mais de mil pessoas já morreram durante as obras para o Mundial. Em abril de 2016, a Fifa criou um grupo especial para monitorar as condições de trabalho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos