Sem proposta, Inter vai isolar Anderson e propõe rescisão de contrato

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/ Internacional

    Anderson (c) será afastado do grupo e treinará no CT da base caso não rescinda

    Anderson (c) será afastado do grupo e treinará no CT da base caso não rescinda

O Internacional ainda aguarda que as sondagens referidas por Anderson tornem-se propostas. Mas sem grande expectativa. A direção do clube gaúcho já tem definida estratégia para o retorno do meio-campista após empréstimo ao Coritiba. Propõe a rescisão amigável de vínculo e irá isolar o atleta caso não seja aceito.

Anderson revelou a pessoas próximas que tem uma série de sondagens. Da China, de Portugal e da Inglaterra. Mas ao Internacional absolutamente nada foi apresentado. O jogador não mantém representante no Brasil, apenas o português Jorge Mendes (o mesmo empresário de Cristiano Ronaldo) é autorizado a tratar de sua carreira. Além do próprio atleta, que está de férias.

O retorno ocorre junto aos demais jogadores, no dia 2 de janeiro. E se até lá nenhuma proposta for efetivada, o Colorado já tem tudo preparado para proceder a saída do meio-campista de 29 anos.

A primeira proposta será de rescisão amigável. Ele, porém, precisará abrir mão de dinheiro. O clube não está disposto a pagar a integralidade do valor necessário para o rompimento do vínculo que tem mais um ano de duração. Seriam R$ 6 milhões. Será proposto parcelamento e valor inferior a isso para que ele possa seguir a carreira em outro endereço.

Caso Anderson não aceite a proposta de rescisão, a conduta será a mesma feita com ele no começo de 2016: o isolamento. Será relegado a ele o Centro de Treinamentos de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre, para que possa manter a forma junto aos jogadores das categorias de base. Não frequentará sequer o mesmo ambiente dos atletas do grupo principal.

Além de mostrar que ele não terá oportunidade no Beira-Rio, a ideia do isolamento prevê também convencer Anderson que o melhor é rescindir.

Com salário de R$ 400 mil mensais, mais parcelamento de luvas que eleva o gasto com ele a R$ 500 mil por período, o Inter entende que é difícil um acordo por empréstimo. Mesmo para tê-lo no Coritiba, onde fez 23 jogos e marcou três gols, foi necessário pagamento da metade do salário dele todo mês. Ou seja, com ele fora, o Inter gastou R$ 3 milhões (meio salário + luvas).

A carreira de Anderson começou empolgante. Depois de ser herói da Batalha dos Aflitos no Grêmio com apenas 17 anos, foi negociado com Porto, de Portugal. Conquistou a Copa e o Campeonato Português. Seguiu rotina de sucesso, foi transferido ao Manchester United, da Inglaterra, onde conquistou o Campeonato Inglês e a Copa da Liga Inglesa.

Ele Atuou de 2007 a 2013 nos Diabos Vermelhos, mas passou a sofrer com lesões e problemas físicos. Foi cedido à Fiorentina, da Itália, por lá fez apenas oito jogos, até o fim do vínculo com o Manchester, quando assinou com o Inter. No Colorado disputou 45 jogos com um gol no primeiro ano, 43 jogos com cinco gols no segundo, mas jamais gozou de apreço da torcida e acabou liberado no início de 2017.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos