Mesmo após dois meses sem salário, Maicosuel fala em "dívida com o SP"

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Érico Leonan/saopaulofc.net

    Maicosuel durante treinamento pelo São Paulo

    Maicosuel durante treinamento pelo São Paulo

Contratado em junho, Maicosuel viveu uma experiência diferente nesta temporada. Por conta do processo de recuperação de desequilíbrio muscular, o meia atacante abriu mão de dois meses de salário no Tricolor. Apesar de tal situação, o jogador ainda se vê em dívida com o clube, com o qual tem vínculo até 31 de maio de 2020.

"Meu projeto é ser vencedor aqui. Acho que eu mostrei com a própria camisa do São Paulo que eu tenho condições de jogar em alto nível, de ajudar em campo, e espero que isso possa acontecer e que seja um ano sem problemas para mim em termos de lesão. Esse ano realmente foi bastante complicado, mas agora já passou. É focar na frente. Tenho uma dívida com o São Paulo de gratidão e vou fazer de tudo para pagar. O torcedor pode confiar nisso", disse Maicosuel, em entrevista exclusiva ao UOL Esporte

O jogador, de 31 anos, sofreu com sequência de lesões e, por isso, passou boa parte do ano no departamento médico. Ele disputou apenas oito partidas com a camisa tricolor e só marcou um gol, contra o Atlético-PR, no dia 14 de outubro. Até mesmo por conta desta dificuldade para mostrar serviço, o meia atacante virou alvo de críticas. A expectativa do jogador, agora, é de que em 2018 a história seja diferente. Por isso, Maicosuel se prepara também durante as férias.

"Vou procurar me cuidar, cuidar da alimentação, fazer um trabalho de academia, um físico, coisas que dá para aliar nesse período. Minhas filhas tiveram um ano um pouquinho atribulado por ter que mudar de Estado, escola, então também tenho que reservar um tempo para elas e para minha família. Mas, como falei, vou tomar cuidados para chegar em boas condições na pré-temporada, que vai ser muito importante para mim", disse o jogador.

Veja outros trechos da conversa com o meia atacante:

Período em que abriu mão do salário

Eu sei que era meu direito receber, que eu não estava sem jogar porque eu queria, mas preferi dessa forma. Eu me senti bem tomando essa atitude e não me arrependo, pelo contrário.

Apoio da torcida

Acho que isso [ficar sem receber salário] ajudou também o torcedor a enxergar a minha postura, a minha intenção junto ao São Paulo e, com isso, eles também me apoiaram mais, o que foi fundamental para eu poder passar por aquele período bem difícil. Onde eu ia nas ruas os torcedores me cumprimentavam, falavam que estavam me esperando, que era para eu voltar logo e isso me motivou bastante.

Sem sorte e arrependimento em trabalho no São Paulo

Não tenho nada do que me arrepender. Nunca deixei de cumprir com minhas obrigações como profissional. O que me faltou no São Paulo foi um pouco de sorte em termos de não me machucar, mas isso é algo que infelizmente não posso controlar, apenas fazer o melhor para evitar. Eu fiz, então eu tenho minha consciência tranquila e nada do que mudar ou me lamentar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos