Lembra dele? Ex-Flu, Alan brilha na China antes de trabalhar com Cannavaro

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

  • VCG/Getty Images

Você já imaginou como seria ter um vencedor do prêmio de melhor do mundo como seu chefe? Esse é o cenário que Alan encontrará em 2018 no Guangzhou Evergrande, atual campeão chinês. Ele começará a ser treinado por Fabio Cannavaro, dono da Bola de Ouro de 2006, ano em que foi campeão da Copa do Mundo pela Itália.

"Ele é um cara super respeitado, campeão mundial, capitão da seleção italiana e isso nos motiva muito para a próxima temporada. Tenho certeza de que ele fará um grande trabalho e que entraremos fortes em todos os campeonatos", disse o atacante em contato com o UOL Esporte.

Na última temporada, o jogador fez 18 gols em 38 partidas pelo Guangzhou de Felipão, que agora deixa o comando da equipe para que o ex-zagueiro italiano volte como treinador. Scolari, por sinal, teve no time chinês a sua primeira experiência após o traumático 7 a 1, com a seleção brasileira, e os meses sem títulos no Grêmio.

Pavel Golovkin/AP
Cannavaro treinará o Guangzhou em 2018

"Sabemos que o futebol é dinâmico e as coisas mudam muito rapidamente, então ele deu sequência à sua carreira e conquistou títulos importantes na China, mostrando que continua motivado a buscar grandes coisas no futebol", elogiou Alan.

Se a sua memória falhou, vamos refrescá-la: revelado pelo Fluminense, Alan Douglas deixou o clube em 2010 e partiu para o Salzburg, da Áustria, onde viveu temporadas incríveis – chegou a fazer 27 gols em 29 jogos de uma edição da Bundesliga austríaca.

"A minha passagem pelo Salzburg foi muito boa, tenho ótimas lembranças quando falo desse tempo. Fiz muitos gols, formei dupla de ataque com o [Jonathan] Soriano", afirmou.

Hoje aos 28 anos, Alan está mais maduro que nunca. Continua atuando com velocidade e na direção do gol, como ele mesmo se descreve, mas os sete anos de Europa e Ásia já o educaram coletivamente. "É claro que a gente evolui com o passar do tempo, tanto técnica quanto taticamente", explicou o atleta, que admite que escutaria com carinho uma proposta para voltar ao Fluminense.

"Não tem um time que eu tenha vontade de defender especificamente, mas com certeza o Fluminense é um clube pelo qual eu tenho muito carinho, me deu formação, coisas importantes e me projetou para o futebol europeu. Sem dúvida, escutaria com muito carinho uma proposta do clube, sem fechar as portas para outras equipes do Brasil", disse.

Site oficial do Fluminense
Alan foi campeão brasileiro em 2010

Alan admite que sente falta da familiaridade brasileira, mas já se vê adaptado no país asiático. "Voltar ao Brasil é um desejo que tenho, mas estou feliz aqui na China. A gente sente falta da nossa casa, da família e dos amigos que deixamos por lá, mas hoje, com tanta tecnologia, conseguimos administrar melhor isso. A China nos oferece muitas coisas que nos deixam à vontade aqui, mas, sem dúvida, voltar a jogar no futebol brasileiro, com todo o seu equilíbrio, é uma vontade que eu tenho no futuro", avisou.

"Não chegou nada de oficial para mim, nem para o Guangzhou. Fiquei sabendo disso por boatos, mas fico feliz que o meu nome seja lembrado por clubes importantes", completou Alan, que tem contrato com o clube até o fim de 2019 e se diz muito feliz.

O atacante segue a mesma linha da maioria dos jogadores que se aventuram no futebol chinês: ao contrário do que os estereótipos e clichês podem ditar, a vida no país é boa. "A China é um lugar incrível para se morar. Temos tudo que precisamos, as pessoas são educadas, podemos andar nas ruas sem qualquer tipo de problema, independentemente de resultado de jogo", comentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos