Hudson fica sem vínculo com o Cruzeiro e caminho fica livre para o Atlético

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Titular do Cruzeiro em 2017, Hudson pode defender o rival Atlético-MG em 2018

    Titular do Cruzeiro em 2017, Hudson pode defender o rival Atlético-MG em 2018

O desejo do Atlético-MG é contratar pelo menos um volante para 2018. Embora a preferência seja por Walace, revelado pelo Grêmio e que defende o Hamburgo, da Alemanha, o clube mineiro monitora a situação de outros jogadores. Entre eles está o volante Hudson, que pertence ao São Paulo, mas defendeu as cores do Cruzeiro na temporada passada.

Com o término do contrato entre o jogador e a equipe celeste, o caminho está livre para o Atlético procurar oficialmente o São Paulo para negociar a contratação de Hudson. No acordo de empréstimo que se encerrou no último dia de 2017, o Cruzeiro tinha a prioridade na compra do atleta. Pelo contrato assinado no começo do ano passado, bastava a Raposa pagar 1,5 milhão de euro (cerca de R$ 6 milhões) para ficar em definitivo com Hudson.

Cruzeiro e São Paulo chegaram a negociar uma quantia menor do que a estipulada no contrato. Mas como não houve acerto no dia 21 do mês passado, a negociação foi dada como encerrada. Hudson até postou uma mensagem de agradecimento e despedida.

Apesar da falta de acerto para que a negociação fosse fechada por menos de 1,5 milhão de euros, o contrato em vigor dava prioridade ao Cruzeiro. Como o clube celeste não exerceu esse direito, a partir de agora o Atlético está livre para negociar com o São Paulo, sem que seja prejudicado por uma eventual mudança de postura da diretoria cruzeirense.

Inclusive o Galo já entrou em contato com o Staff do volante, como revelou o UOL Esporte, mas sem iniciar uma negociação, já que naquele momento havia a prioridade do Cruzeiro. Com o caminho livre, o nome de Hudson ganha força na Cidade do Galo. Mas por enquanto o jogador segue com a programação do São Paulo e tem de se apresentar ao técnico Dorival Júnior, no dia 3, para iniciar a pré-temporada, no CT da Barra Funda.

Walace segue como o primeiro da lista

O nome de Hudson é uma das alternativas do Atlético caso a negociação com Walace, do Hamburgo, não seja concretizada. Para tentar repatriar o jogador, o Galo tem o auxílio do fundo de investimento do Banco BMG. É com essa parceria que o Galo pretende comprar o volante de 22 anos, que foi revelado pelo Grêmio e em 2016 fez parte da seleção brasileira que conquistou a medalha de ouro nos jogos Rio-2016.

Walace chegou ao Hamburgo em janeiro do ano passado, comprado por 10 milhões de euros (R$ 33,4 milhões na cotação da época). Para tirar o volante do futebol alemão, o Atlético já sabe que uma negociação por empréstimo está descartada, o que torna a operação ainda mais complicada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos