Topo

Futebol


Renato cita relação com Jair no Botafogo e se diz chateado por Elano

Ivan Storti/Santos FC
Renato é amigo particular de Elano desde a época de Guarani, onde trabalharam juntos Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

03/01/2018 16h18

O volante Renato foi o escolhido do Santos para conceder a primeira entrevista coletiva desta temporada, no CT Rei Pelé. O experiente jogador falou sobre a sua relação com o técnico Jair Ventura, novo técnico santista. Os dois trabalharam juntos no Botafogo entre 2011 e 2014.

No período em que Renato atuava no clube carioca, Jair Ventura era auxiliar do técnico Oswaldo de Oliveira no Rio de Janeiro. O volante de 38 anos citou o caráter do treinador e sua disposição para lançar jovem talentos ao elenco profissional, principal característica do Santos no futebol.

“Jair fez com o Botafogo tudo que vocês não imaginavam. O elenco que ele montou, com as condições que o Botafogo tinha. Conseguiu chegar na Libertadores, fez um belo trabalho. Temos que reconhecer o trabalho que foi feito com as peças que tinham. A gente espera que aqui ele possa dar continuidade, é um treinador jovem. Ele vai tentar implantar o quanto antes sua filosofia de jogo”, afirmou Renato.

“Ainda não, eu acabei de chegar. Peguei o Jair como auxiliar com o Oswaldo, no Botafogo. É um cara super tranquilo, tem um caráter dos grandes. Sabe trabalhar com a base. O clima é diferente, temos jogadores subindo para o profissional com muito talento, esperamos extrair esse talento. O Jair é um cara que conhece bem a base, esperamos que ele possa fazer isso aqui também”, completou.

Apesar de aprovar a contratação de Jair Ventura, o volante santista não escondeu a chateação com a demissão de Elano, que integrava a comissão técnica do clube paulista.

“Falei com ele. A gente sabe que o futebol é assim, as situações acontecem. Ficamos chateados, mas temos que seguir. Esse ano, a partir de hoje, já começa uma nova temporada”, disse.

Renato e Elano são amigos desde a época de Guarani, quando trabalharam juntos no time do interior paulista. Sem o amigo Elano, o experiente volante agora torce pela volta de outro companheiro: o atacante Robinho. A diretoria santista negocia com o seu ídolo, mas as negociações estão emperradas.

“Isso fica a cargo da diretoria. Eu particularmente adoro o Robinho, gostaria que voltasse, mas são coisas do futebol que aparecem. Se vier, será recebido de braços abertos. Quando joga aqui, tá em casa”, concluiu.

Mais Futebol