Eurico tenta suspender eleição e estender mandato até fim de briga judicial

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Marcelo Cortes/FotoArena/Estadão Conteúdo

    Eurico Miranda não se dá por vencido em eleição do Vasco e tenta manobras judiciais

    Eurico Miranda não se dá por vencido em eleição do Vasco e tenta manobras judiciais

Eurico Miranda não desistiu de reverter a derrota nas urnas e nas últimas decisões judiciais no imbróglio envolvendo a polêmica eleição do Vasco. Nesta sexta-feira (5), o presidente cruzmaltino entrou com agravo solicitando que a Desembargadora Marcia Ferreira Alvarenga reconsidere suas últimas decisões e suspenda o processo eleitoral, prorrogando seu mandato - inicialmente vai até o próximo dia 16 - até o fim do impasse judicial. 

Em documento de 46 páginas assinado pelo renomado advogado Sérgio Bermudes e outros quatro sócios obtido pelo UOL Esporte, o Vasco pede: "o agravante confia em que será reformada a. decisão ora agravada, a fim de que seja parcialmente deferido efeito suspensivo ao agravo de instrumento de fls. 02/47, para que fique suspenso o procedimento eleitoral até o julgamento do agravo de instrumento, ficando prorrogados, assim, os mandatos dos atuais mandatários".

Divulgação

"É forçoso reconhecer que a suspensão do resultado das eleições e a prorrogação dos mandatos dos atuais mandatários é a medida que melhor preserva os interesses do clube e garante o menor impacto na vida administrativa do Clube enquanto sequer produzida a prova pericial necessária", completou a peça que tenta salvar a derrota parcial de Eurico Miranda.

Com o agravo – pedido de reconsideração da decisão –, a solicitação será observada por um colegiado de desembargadores a partir da próxima segunda-feira (8), quando o Poder Judiciário retorna do recesso de final de ano.

Os advogados que defendem os interesses de Eurico Miranda ainda entraram com um mandado de segurança com as mesmas solicitações - anulação do processo eleitoral e prorogação de mandato. A ideia da diretoria atual do Vasco é ter dois caminhos em esferas diferentes para atingir o objetivo de não deixar o poder.

A última decisão de Marcia Ferreira Alvarenga definiu por anular os votos da polêmica urna 7 e apontou a vitória do opositor Júlio Brant. A desembargadora aceitou acatou o laudo pericial que identificava irregularidades na urna e a decisão de primeira instância da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves.

Com isso, Brant terá maioria das cadeiras na eleição do Conselho Deliberativo nos próximos dias, confirmando a saída da atual diretoria. Eurico Miranda corre contra o tempo e tenta reverter a decisão da Desembargadora antes da reunião que pode, enfim, tirá-lo do poder.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos