Inter recebe indesejados e tenta se livrar para economizar R$ 1,5 milhão

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Alexandre Lops/AI Inter

    Anderson é o principal dos jogadores que não será aproveitado no grupo principal do Inter

    Anderson é o principal dos jogadores que não será aproveitado no grupo principal do Inter

Oito jogadores que não devem ser aproveitados pelo Inter se apresentam nesta segunda-fera, sete dias depois do elenco que deve jogar ter iniciado os trabalhos. Fazem parte desta lista aqueles que voltam de empréstimo, mas sequer treinarão com os demais jogadores do grupo. Uma lista que movimenta valores superiores a R$ 1,5 milhão por mês com salários e luvas.

Não há chance de aproveitamento de nenhum deles. São jogadores que o Internacional considera dispensáveis e tem dificuldades em encontrar negociações por conta dos altos salários ou da resposta negativa do mercado ao retrospecto recente em campo. E o clube irá lutar para conseguir recolocar todos em outros endereços.

De todos, o caso mais complicado é o de Anderson. Aos 29 anos, o meio-campista passou pelo Coritiba sem brilho e custa, entre salários e luvas, perto de R$ 500 mil mensalmente ao Inter. Tem mais um ano de contrato e a estratégia da direção está montada. Irá propor a rescisão amigável e afastar ele dos treinamentos com grupo. Mas a tendência é que não exista acordo e o jogador até cogita uma ação na Justiça cobrando valor integral de rescisão com clube.

Em seguida vem Luis Manuel Seijas. Aposta da direção passada, o jogador tem vínculo até junho de 2019 com o Colorado e também não é nada barato. Esteve cedido à Chapecoense na última temporada e não conseguiu destaque. O Inter aposta no status que ele possui no mercado internacional para conseguir uma negociação. Não há perspectiva de inclusão dele no grupo.

Em seguida vem Fernando Bob. Depois de quase ser negociado com São Paulo durante empréstimo à Ponte Preta, ele não teve um bom segundo semestre. Com vínculo até o fim do ano, buscará novo empréstimo.

Marquinhos, que esteve no Sport, Alan Costa, que volta do Vitória, Taiberson, que regressa do Juventude, e Eduardo Henrique, que retorna do Atlético-PR, completam a lista de jogadores que ainda possuem vínculo e não serão aproveitados. Todos treinarão separadamente.

Destes, apenas Taiberson e Eduardo Henrique têm vencimentos inferiores a R$ 100 mil. O total do grupo bate os R$ 1,5 milhão entre salários e pagamentos adicionais aos atletas. E é este peso que o Inter tentará tirar de suas costas o mais rapidamente possível.

Maior parte dos casos já resolvidos

Com uma lista de mais de 30 jogadores para recolocar no mercado, a maioria dos casos já foi resolvido pelo Inter. Os últimos emprestados foram Andrigo ao Ceará, Mike ao Paysandu, Arthur ao Brasil de Pelotas, Geferson ao CSKA Sofia, da Bulgária, e Roberson ao Jeju United, da Coréia do Sul.

Ainda há um caso peculiar no elenco principal. Paulão trabalha atualmente com o grupo mas caso surja uma proposta interessante pode facilmente ser liberado. O mesmo vale para Ernando. A dupla que já foi titular do time por uma temporada inteira atualmente é par na zaga do terceiro time.
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos