Copa São Paulo tem denúncia de manipulação de resultados. FPF já investiga

Gabriel Carneiro e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook

    Estanciano está no Grupo 19 do torneio, perdeu dois jogos por 3 a 2 e joga nesta quarta

    Estanciano está no Grupo 19 do torneio, perdeu dois jogos por 3 a 2 e joga nesta quarta

"Quero que acabe logo essa Copa São Paulo".

O desabafo anônimo foi feito ao UOL Esporte por um jogador do modesto Estanciano, um dos representantes do Estado de Sergipe na Copa São Paulo de Juniores em 2018. O time já está eliminado com duas derrotas nas duas primeiras partidas da fase de grupos, mas virou centro de uma grande polêmica. Já existe até investigação da Federação Paulista de Futebol sobre uma denúncia de manipulação de resultados nas partidas do clube nordestino pelo torneio de base, supostamente incentivada por um site de apostas baseado na China.

O caso está sendo analisado pelo Comitê de Integridade criado pela Federação Paulista em 2016 para combater manipulação de resultados. O comitê vai fazer a análise preliminar e encaminhar o caso para os órgãos competentes, que pode ser Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), Ministério Público ou até mesmo a polícia do Estado.

Ricardo Pereira, técnico que iniciou a Copa São Paulo no Estanciano, alega ter sido procurado na noite de 2 de janeiro de 2018 pelo então presidente do clube, Sidnei Santos Araújo, e mais dois homens que se apresentaram como ex-jogadores de futebol e atualmente empresários que tinham entrada no mercado chinês e interesse nas revelações do clube sergipano. No dia seguinte, pela manhã, o grupo voltou a se encontrar e o treinador recebeu uma proposta: R$ 7 mil para combinar o resultado da partida do dia 4, contra o Itapirense. Além disso, o clube receberia R$ 30 mil para montar o elenco profissional do segundo semestre.

Paralelamente, a dupla de empresários entrou em contato com alguns jogadores do Estanciano com o mesmo objetivo de tentar combinar o resultado do jogo. Em áudio gravado por um destes jogadores e divulgado primeiramente nas rádios "Jornal", do Sergipe, e "Capital", de São Paulo, os homens se apresentam como representantes de um grupo chinês que controla um site de apostas. De acordo com um dos empresários nomeado como Tiago Souza, "eles pedem um resultado assim, eu passo e os caras (jogadores, treinador e diretoria) fazem. Aí no dia seguinte o dinheiro está na mão". Resultados de difícil ocorrência rendem lucros maiores, e a proposta era de R$ 2 mil para cada jogador que topasse a manipulação - havia até um acréscimo previsto de R$ 500 se alguém se comprometesse a fazer um pênalti.

O jogador que gravou o áudio já tinha sido avisado por um companheiro que havia dois homens propondo o suborno e decidiu expor o caso. Por isso, não há recusa imediata no recebimento. Já com Ricardo Pereira, a manifestação contra o recebimento de propina teria ocorrido logo depois da proposta. Pelo relato do treinador, Sidnei o parabenizou após a saída dos dois homens. De acordo com outros relatos ouvidos pelo UOL Esporte, Pereira comunicou logo em sua chegada ao hotel da delegação o que havia ocorrido ao capitão do time e à coordenação da base do Estanciano.

Em 4 de janeiro, o time foi a campo e acabou derrotado pelo Itapirense por 3 a 2 na abertura da Copa São Paulo. No dia seguinte, Ricardo Pereira foi liberado para voltar ao Sergipe.

"A saída do Ricardo foi um posicionamento meu como dirigente. Ele me disse que estava com medo por causa da proposta e de toda a situação. Vi meu comandante abalado e inseguro e tínhamos uma derrota, mas podíamos nos classificar vencendo os outros jogos, então não podia passar essa insegurança aos atletas. Ninguém botou arma na cabeça dele, não havia motivo para esse abalo. Se a proposta (de suborno) foi rejeitada acabou o assunto", revela China Oliveira, gerente de futebol do clube.

No domingo, dia 7, o Estanciano foi novamente derrotado por 3 a 2, desta vez para o Fortaleza, e ficou sem chances de classificação à fase de 32 avos de final. O time encerra participação na primeira fase nesta quarta-feira, às 17h, contra o Volta Redonda. Mas o ânimo não é o mesmo do início.

"Estamos muito cheios, há duas noites sem dormir por causa de todos os acontecimentos. Só queremos jogar essa última partida e ir embora de uma vez", diz o mesmo jogador que abriu a matéria, e que não quis se identificar.

"É um grupo de adolescentes e eles estão preocupados, porque houve quem desse a venda dos jogos como algo certo, que jogador A ou B pegou tal valor. O que houve de fato foi uma proposta para manipularem os resultados, mas não passou disso porque não foi aceito por ninguém, até onde eu tenho conhecimento. Um jogador gravou uma conversa por medo do teor, mas logo depois procurou o clube e mostrou. Aí entre eles foi para grupos, amigos e correu. Por isso houve tanta repercussão", resume China.

Presidente se licencia de cargo


No último domingo, o presidente do Estanciano pediu licença de seu cargo. Ele e mais um jogador não identificado são apontados em um dos áudios como únicos que levaram em frente a negociação de suborno com o site chinês. O mandatário não atendeu ligações e se pronunciou apenas por meio de uma nota oficial. Neste comunicado, Sidnei Araújo diz que "tentam macular sua reputação", que pretende "demonstrar quem são os verdadeiros culpados pelas falsas denúncias e quem são os verdadeiros corruptos envolvidos nos fatos ocorridos na cidade de Itapira" e que "em alguns dias, todos saberão quem está falando com a verdade".

E agora?


Os dois supostos representantes do site chinês estavam hospedados no mesmo hotel da delegação do Estanciano, mas deixaram Itapira domingo à noite, logo após o escândalo se tornar público. O hotel não divulga informações de seus hóspedes e aguarda por uma comunicação da Polícia ou do Ministério Público. O MP, aliás, integra uma comissão capitaneada pela Federação Paulista de Futebol para evitar manipulação de resultados em torneios organizados por ela.

Presidente do TJD, o delegado Antonio Assunção de Olim respondeu ao UOL Esporte que as investigações começarão a ser conduzidas a partir desta quarta-feira (10). "O comitê disciplinar que atua na Copa São Paulo vai analisar o material que vem do Comitê de Integridade. Devemos ouvir todos os envolvidos e encaminhar o caso para a polícia. Depois, dependendo do que a polícia descobrir, podemos tomar alguma atitude na esfera da Justiça Desportiva", afirmou o mandatário, que também preside o Comitê da Copinha e participa do de Integridade.

Ouça!


O UOL Esporte teve acesso a um áudio gravado por um jogador do Estanciano do momento em que um dos representantes do site chinês faz a proposta de suborno. O presidente Sidnei Araújo é citado como interlocutor.


Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos