Eurico 'incorpora' Trump e Guevara e pede anulação da eleição do Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz/UOL Esporte

    Eurico Miranda pediu a anulação da eleição do Vasco

    Eurico Miranda pediu a anulação da eleição do Vasco

Pressionado pelos salários atrasados, as derrotas nos tribunais que estão dando a vitória na eleição ao candidato de oposição Julio Brant e tendo que aceitar o pedido de rescisão do zagueiro Anderson Martins, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, convocou uma coletiva onde tentou dar explicações sobre a grave crise que atravessa. Durante a entrevista, onde pediu a anulação do pleito, chegou a "incorporar" Donald Trump e Che Guevera, fazendo um tour ideológico da extrema direita à extrema esquerda.

O primeiro citado foi o presidente norte-americano e serviu para tentar conduzir a coletiva: 

"Vou fazer igual ao Donald Trump: se a perguntar não estiver dentro, não respondo".

Já o guerrilheiro foi lembrado para reforçar que não irá desistir de permanecer na presidência mesmo com as seguidas derrotas na Justiça:

"Eu não sou muito chegado, mas o Che Guevara não dizia: 'Há que endurecer-se, mas sem jamais perder a ternura'? Então, meu problema é esse. Em relação ao Vasco eu perco a ternura. Com esses caras que são anti-Vasco".

Atolado em dívidas, com os salários de novembro, o 13º e as férias em atraso, Eurico elegeu os culpados para o seu momento complicado: a imprensa e os opositores.

Durante a coletiva, o presidente vascaíno falou que grupos contrários à gestão trabalham para minar o seu trabalho no clube. Nesta terça, a Justiça indeferiu o pedido de liminar para que se reconsiderasse a decisão de anular os votos da polêmica urna 7 na eleição do Vasco. Com a decisão, Eurico está mais próximo de ter de deixar o poder em São Januário.

"Presidente do conselho fiscal [Otto Carvalho] que estimulou matérias, foi muito bem recebido por alguns setores, e o interesse único ali foi prejudicar o Vasco. O que tivemos de problema é que não pudemos mais agir em relação aos nossos parceiros, porque viam uma situação difícil colocada por essas pessoas e por veículos de comunicação e que no final agravou muito mais a situação. A busca dos recursos", disse Eurico Miranda.

"Os parceiros eram procurados por esse pessoal que quer vir para o Vasco e dificultavam cada vez mais qualquer negócio que se podia fazer. O que eu, como presidente do Vasco, tinha obrigação de fazer e fiz, e tenho minha consciência tranquila, é que sempre quis fazer o melhor para o Vasco", completou o presidente do Cruzmaltino.

Além da oposição, Eurico também culpou a imprensa pelo caos vivido em São Januário. "Eu ajo como presidente do Vasco. Não ajo como candidato a coisíssima nenhuma, mas essa campanha eleitoral esteve estimulada não sei por quem, alguns já identifiquei. O Extra, o UOL... Que é uma apêndice da Espn", atacou Eurico, fazendo confusão com os veículos que são independentes.

Em seguida, Eurico Miranda negou qualquer participação na compra de votos nas eleições e pede apuração completa no caso. Segundo o presidente, caso seja identificado algum erro no pleito, que ele seja cancelado.

"Eu não participei de absolutamente nada de compras de voto. Eu sempre quis, desde o início que fosse tudo devidamente apurado. Eu vou continuar discutindo porque quero que as coisas sejam apuradas da forma que tem que ser. O estatuto é muito claro. Se teve vício numa eleição, anula-se a eleição. Faça-se outra. O que não pode ter é vício em parte da eleição, em uma urna da eleição. E os sócios que votaram nas outras? Eles também estavam regulares ou irregulares? Se foi constatado vício, que se anule eleição em um todo, não de uma urna", disse.

Eurico cogitar não participar de eleição do conselho

Outro ponto importante na coletiva do presidente do Vasco foi a possibilidade que deixou no ar de não concorrer na eleição do Conselho Deliberativo, onde os conselheiros natos e eleitos elegem o novo mandatário do clube.

"Eu não sou candidato no quadro. Eu nunca fui candidato. Eu sou conselheiro nato. Se, de repente, a gente ver que precisa que eu continue, é uma coisa, mas não estou disputando, pedindo voto. Tem os titulares da chapa e eles é que fazem. Os que inscrevem a chapa é que podem indicar", disse.

Questionado por um jornalista se havia se decidido, então, que está fora da disputa, disse:

"Não respondi isso nem para minha mulher ainda. Vou responder para você?".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos