Eleição do Vasco gera nova polêmica e pode resultar em multa a dirigentes

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz/UOL Esporte

    Eurico diz que lutará até a última instância para permanecer no poder do Vasco

    Eurico diz que lutará até a última instância para permanecer no poder do Vasco

A Justiça se mantém irreversível e desconsidera a polêmica urna 7. A eleição do Vasco, então, tem tudo para se encaminhar a um desfecho, só que não sem um último obstáculo. O pleito do Conselho Deliberativo, que atesta, ou não, o vencedor das urnas, precisa ser convocado formalmente. Até agora, a diretoria não fez isso e nem dá sinais de que vá se mexer nesse sentido. Caso descumpram a determinação da juíza Maria Cecília Pinto Gonçalves, da 52ª Vara Civil do Estado do Rio de Janeiro, os dirigentes envolvidos podem ser multados em até R$ 50 mil.

Como a desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Vara Cívil, ratificou a decisão da magistrada, segue valendo sua ordem de prosseguimento do processo eleitoral por parte do clube.

Segundo o estatuto cruzmaltino, a convocação para a reunião do Conselho Deliberativo deve acontecer na primeira semana da segunda quinzena de janeiro, com antecedência de cinco dias (ou 48 horas se for invocada urgência). Considerando que o atual mandado de Eurico Miranda termina na próxima terça-feira (16), o chamado precisaria ocorrer até esta quinta-feira (11) ou, com urgência, até domingo (14).

Considerado, atualmente, o vencedor da eleição direta pela Justiça, o candidato Julio Brant ameaçou processar a pessoa física caso não se cumpra o rito.

"Chega de brincadeira! Já prejudicaram demais o clube. Exijo que a reunião na Lagoa seja convocada como manda o estatuto. Quem não convocar será punido pela Justiça na pessoa física. Não importa quem seja o responsável. Vou me certificar disso", disse ao Lance!.

Eurico não deve participar de eleição do Conselho

A eleição do Conselho Deliberativo acontece da seguinte forma: a chapa vencedora, no caso, a de Julio Brant, indica 120 conselheiros. A segunda colocada, no caso a de Eurico, outros 30. Estes 150 se juntam a outros 150 considerados natos e os 300 votam no novo presidente do Vasco.

Nunca, na história do clube, um candidato que foi segundo colocado na eleição dos sócios venceu no Conselho. Ciente disso, é bem provável que Eurico Miranda não participe do pleito caso ele seja convocado. A ação pode ser uma estratégia, já que agora o atual mandatário aposta todas as fichas numa anulação da eleição dos sócios.

"Eu não sou candidato no quadro. Eu nunca fui candidato. Eu sou conselheiro nato. Se, de repente, a gente ver que precisa que eu continue, é uma coisa, mas não estou disputando, pedindo voto. Tem os titulares da chapa e eles é que fazem. Os que inscrevem a chapa é que podem indicar", desconversou Eurico, em entrevista coletiva na última terça-feira.

Questionado por um jornalista se havia se decidido, então, que está fora da disputa, disse: "Não respondi isso nem para minha mulher ainda. Vou responder para você?".

Entenda a polêmica

Por conta de associações suspeitas, uma urna, enumerada como 7, foi colocada em separado para posterior investigação na eleição que ocorreu no Vasco dia 8 de novembro de 2017. Após perícias, 475 votos dela foram desconsiderados pela Justiça. Depois de recursos e desdobramentos, a decisão foi mantida esta semana nos tribunais, o que dá a vitória ao candidato de oposição Julio Brant.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos