Topo

Futebol


Time japonês cobra Cruzeiro e atacante cedido ao Bota pode voltar ao Japão

Gabriel Assis/BFR
Rony já foi anunciado como reforço do Cruzeiro, mas ainda não assinou contrato Imagem: Gabriel Assis/BFR

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

15/01/2018 12h15

Cedido ao Botafogo pelo Cruzeiro, o atacante Rony não tem seu futuro definido em General Severiano. O Albirex Niigata, do Japão, seu ex-clube, notificou o time celeste por negociar o atleta seu o seu aval e cobrou uma multa de US$ 10 milhões (cerca de R$ 32,1 milhões). Se o montante não  for pago, o atacante deverá ser devolvido à equipe japonesa.

A informação foi antecipada pelo site 'Super Esportes' e confirmada pelo UOL. O Cruzeiro já está ciente da cobrança e trabalha para tentar resolver o imbróglio com os japoneses. Se a vontade do clube em contar com o atleta permanecer, Rony deverá retornar ao Japão. Neste momento, o atacante já foi apresentado pelo Botafogo, mas ainda não assinou o vínculo com a entidade.

Rony foi emprestado ao Albirex Niigata no final de 2016 por R$4 milhões e o contrato de um ano permitia uma renovação por mais três temporadas. Com sete gols em 32 jogos, o atacante fez parte do time rebaixado para a segunda divisão do país e esperava-se que fosse liberado após o empréstimo. Porém, não foi isso que aconteceu, e os japoneses não mostraram favoráveis à sua saída. Uma cláusula no contrato permite que o Albirex aplique a multa caso o Cruzeiro negocie o jogador sem a permissão dos japoneses.

Apesar do impasse sobre Rony, a situação não atrapalha a ida de Bruno Silva para o Cruzeiro. Pelo volante, a diretoria mineira fechou o negócio com o Botafogo por R$4 milhões, além de ceder mais um atleta ao time carioca (o atacante Rony). Se a transferência de Rony para a equipe alvinegra não for concretizada, o clube celeste terá que arcar com mais R$1 milhão como compensação financeira. A outra alternativa é mandar outro atleta ao Botafogo, se os clubes assim preferirem.

Mais Futebol