Palmeiras faz política de "boa vizinhança", mas Flu quer ir à Justiça

Danilo Lavieri e Leo Burlá

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

  • Thomás Santos/AGIF

    Saída de Scarpa revoltou o Flu, que ignorou "política de boa vizinhança" do Palmeiras

    Saída de Scarpa revoltou o Flu, que ignorou "política de boa vizinhança" do Palmeiras

Quando estava perto de concretizar a contratação de Gustavo Scarpa, o Palmeiras entrou em contato com o Fluminense em nome da política da boa vizinhança. Maurício Galiotte telefonou para Pedro Abad e disse que o clube paulista poderia emprestar algum atleta ao time carioca. Ele deixou claro, no entanto, que a lista seria restrita aos jogadores que não serão utilizados pelo clube alviverde.

Do outro lado, a equipe carioca não se interessou na oferta. Mais do que isso. Prometeu ir até o fim na Justiça para ter direito a uma multa rescisória que pode chegar a R$ 200 milhões. Galiotte diz ter feito o telefonema apenas para manter uma boa relação e não para evitar que a ação continuasse.

Para ler esta notícia na íntegra, além de outras novidades dos bastidores da bola, leia a coluna De Primeira.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos