São Paulo estreia no ano contra goleiro menos vazado das Séries A, B e C

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

  • Jesus Vicente/São Bento

Dentre os goleiros titulares das melhores defesas das Séries A, B e C do Campeonato Brasileiro 2017, ninguém teve números melhores que Rodrigo Viana. Nem mesmo Cássio, campeão da Série A com o Corinthians, ou João Ricardo, vencedor da Série B com o América-MG, foram menos vazados que o goleiro do São Bento, de Sorocaba, que terá o São Paulo como teste de fogo no primeiro jogo do Paulista.

"Foi um ano muito bom, apesar de ter começado meio conturbado no Paulista [o São Bento foi lanterna do Grupo C, do Palmeiras]. Depois as coisas se encaixaram na Série C e eu pude fazer essa média muito boa. Goleiro não joga sozinho, todo o esquema tático colaborou para a gente conquistar essa marca", disse o goleiro ao UOL Esporte.

Vamos aos números nos quais baseamos essa comparação: titular do São Bento na Série C do Brasileiro de 2017, Rodrigo sofreu apenas 8 gols nas 19 partidas que disputou – foi desfalque em outros três jogos, nos quais a equipe levou dois gols que, evidentemente, não entram nesta conta.

Jesus Vicente/São Bento
Hoje aos 28 anos, o goleiro Rodrigo Viana está no São Bento desde 2016

Ou seja, ele teve uma média de apenas 0,42 gol sofrido por jogo e ajudou o time a chegar nas semifinais da competição, quando caiu diante do CSA nos pênaltis. É bem verdade que os outros goleiros que citamos atuaram em divisões superiores e mais exigentes, mas não é pequena a diferença na relação gols sofridos/partidas disputadas.

Cássio fez 35 jogos pelo Corinthians e foi vencido pelo ataque adversário em 29 oportunidades, uma média de 0,82 gol por partida. Vanderlei, que deu dor de cabeça a Tite por ter sido deixado de fora da seleção, teve média de 0,86, sofrendo 32 gols nas 37 vezes em que atuou pelo Santos.

A segunda melhor média é de João Ricardo, titular do América-MG na conquista da Série B, que concedeu 23 gols em 34 compromissos, uma média de 0,57 gol sofrido. O levantamento foi feito com os goleiros que mais atuaram como titulares nas quatro melhores defesas das três divisões do futebol nacional.

"Acredito que foi a melhor temporada da minha vida. Pelos resultados conquistados, pelos números favoráveis... Como um todo, 2017 foi o melhor ano", comentou Rodrigo Viana, que está no clube desde 2016 e revela ter recebido sondagens em função das duas últimas boas temporadas. "Acreditei no clube por me sentir em casa e ter um ótimo calendário", disse.

Jesus Vicente/São Bento
O goleiro não se ilude com a chance de enfrentar um SP "alternativo"

O objetivo no Paulistão 2018? A princípio, permanecer na elite; depois, se possível, buscar uma vaga no mata-mata. A estreia não é das mais fáceis: nesta quarta (17), às 19h30 (de Brasília), a equipe de Sorocaba recebe o São Paulo no Walter Ribeiro. Nem mesmo a chance de Dorival Júnior levar um time alternativo diminui a preocupação do goleiro.

"Não tem nada a ver. Para estar jogando no São Paulo, o atleta tem que ter muita qualidade. Independentemente do time que entrar em campo, vai ser muito difícil para a gente. A gente treinou muito para lidar com adversidades ao longo da competição, e vai ser um time difícil logo na primeira rodada", avaliou Rodrigo, em tom respeitoso.

Aos 28 anos, ele tem contrato até o fim da atual temporada. "A gente está super preparado. Tem a ansiedade da estreia, é claro, mas a equipe toda está muito preparada e consciente do que tem que fazer. Enfrentar o São Paulo logo de cara é um desafio bastante grande, mas estamos prontos", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos