Um pouco mais valorizado, Paranaense começa nesta quarta; confira detalhes

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Reprodução

O Campeonato Paranaense de 2018 começará nesta quarta-feira com um cenário um pouco melhor do que nos últimos anos. A despeito de o Atlético não ter assinado com a TV e de o Coritiba ter sido rebaixado para a Série B nacional, o Estadual do Paraná dá sinais de reação em seu potencial com a volta do Paraná Clube para a elite nacional, o contrato que garante que o Coxa terá exibidos seus jogos na telinha e as boas campanhas recentes do Londrina.

Até mesmo o Atlético, cuja diretoria critica duramente a manutenção dos Estaduais, resolveu dar mais atenção à competição lançando mão de um time alternativo, porém com atletas experientes mesclados com jovens revelações, ao contrário dos anos anteriores, quando foi apenas com times sub-23. Para completar, nem mesmo a Primeira Liga, que nos últimos dois anos roubou atenções da competição com paranaenses nas finais, deu sinal de que será realizada.

O jogo isolado entre União e Paraná abre a competição, que mudou também o regulamento. A inspiração são os antigos campeonatos cariocas. Os 12 times estão divididos em dois grupos, que irão fazer seus jogos em dois turnos, chamados de taças. No primeiro, os times do Grupo A enfrentam os do Grupo B; no segundo, o duelo é interno nas chaves. Nas duas taças, campeão e vice de cada grupo farão semifinais em jogo único e cruzamento olímpico, para decidir o campeão do turno; se uma mesma equipe levar os dois turnos, será o campeão estadual.

As taças irão homenagear os ex-jogadores Dionísio Filho e Caio Júnior, ídolos do futebol paranaense falecidos recentemente.

Atlético muda planos e vê Estadual com mais valor

Miguel Locatelli/Site Oficial CAP
Emerson reforça o time de aspirantes do Atlético

Depois de cinco temporadas atuando com um time sub-23 e em duas delas levando o elenco principal para um torneio na Espanha, o Atlético mudou um pouco o planejamento para 2018. Campeão em 2016, ano em que mais usou o elenco principal na competição, alternando com os jogadores jovens, o Furacão viu no regulamento da FPF que limita 30 inscrições a chance de lançar um time B, aos moldes dos grandes europeus, como o Real Madrid Castilla.

Jogadores que estiveram no time sub-20, que disputaram o Brasileirão como opção no Atlético ou por outras equipes, e atletas experientes que estão à disposição vão formar o elenco comandando por Tiago Nunes, técnico de uma equipe considerada profissional, mas sem o status de elenco principal do clube. "A gente tem a ideia de contar com alguns jogadores acima de 23 anos, principalmente por que o clube está valorizando mais essa competição", disse o treinador.

Campeão, Coritiba passa por reformulação completa

O atual campeão, Coritiba, usará o Estadual como um teste para seu novo elenco, composto por nada menos que 18 jovens da base que foi vice-campeão brasileira sub-20 no final de 2017. Jogadores experientes, como Kléber (artilheiro do Paranaense 17), Wilson e Alecsandro estarão no elenco comandado por Sandro Forner, técnico do time sub-20 e ex-zagueiro do clube, promovido ao posto de treinador principal.

Reprodução
Kléber, artilheiro em 2017, comemorando na final contra o Atlético

Com uma nova diretoria, o Coxa voltou a se acertar com a RPC TV, Globo local, para a transmissão de seus jogos. O dinheiro negociado, R$ 600 mil, foi visto como fundamental para o clube que perdeu receitas com a queda para a segunda divisão nacional. "O Paranaense é um misto de planejamento e preparação, até porque vários jogadores da base foram integrados", disse o novo presidente Samir Namur e apresentação no começo da temporada.

Paraná conflita euforia do acesso à montagem de nova equipe

Ninguém entra no Paranaense 2018 mais eufórico que o Paraná Clube. O Tricolor ainda celebra o acesso para a Série A do Brasileiro enquanto se vê obrigado a montar um novo time, já que oito peças do time de 2017, incluindo o técnico, deixaram o clube.

Reprodução Twitter / Wendy Campos?
Torcida do Paraná celebra acesso: euforia e recomeço

O choque de realidade é amortizado pela volta de Wagner Lopes, técnico que ajudou a planejar o elenco do ano passado antes de ir para o futebol japonês, treinar o Albirex Niigata. "Eu senti como se não tivesse saído daqui, como se estivesse aqui nesse tempo todo. Isso aumenta ainda mais a responsabilidade", disse na reapresentação. Sem vencer o torneio desde 2006, o Paraná passa o maior jejum desde sua fundação em 1989, mas também encara o Estadual como um teste para o desafio principal: se manter na elite nacional para 2019.

Londrina aposta em novo técnico, sete anos depois

Para o Londrina, que bateu na trave nos últimos dois anos na tentativa de subir para a Série A nacional, o Paranaense 2018 marca um recomeço. Pela primeira vez desde 2011 um outro técnico estará no banco de reservas: sai Claudio Tencati, campeão da Primeira Liga ano passado e do Estadual em 2014, e chega Ricardinho, ex-jogador do Corinthians, Paraná, São Paulo, entre outros.

Gustavo Oliveira/LEC

"Meu objetivo é realizar um grande trabalho em uma grande temporada para o Londrina. Lógico que a longevidade faz parte disso", disse Ricardinho em entrevista ao jornal Gazeta do Povo, "Nossa principal meta neste ano é a Série B, mas é claro que o Estadual também é um objetivo nosso".

Pequenos têm ex-jogadores famosos no banco e buscam vaga na D

Os demais clubes do Paranaense 2018 correm por fora no sonho de chegar às finais e, principalmente, beliscar uma vaga na Série D nacional. A grande ausência é o Operário, campeão brasileiro da D em 2017, mas que não conseguiu o acesso à elite local após ter de se dividir entre as competições. Terá que jogar a Divisão de Acesso uma vez mais. Subiram Maringá e União, de Francisco Beltrão.

Três ex-jogadores de destaque naiconal estão em três equipes: Paulo Baier, ídolo do Atlético e ex-jogador de Palmeiras e Goiás, comandará o Toledo. Julio Sérgio, ex-goleiro da Roma e bicampeão brasileiro pelo Santos, é o técnico do Prudentópolis. E Maurílio, atacante bicampeão brasileiro pelo Palmeiras e ídolo do Paraná Clube nos anos 90 irá comandar o Rio Branco.   

Reprodução/Twitter
Richarlysson pode enfrentar o irmão, Alecsandro, do Coxa

O meia Richarlysson é o principal nome do Cianorte, que apostou no ex-são paulino para dar corpo ao elenco que em 2017 parou nas semifinais. Foz do Iguaçu e Cascavel fecham as 12 equipes do torneio.

 

Confira a primeira rodada

Quarta-feira 17/01, 21h45

União x Paraná Clube

Sábado 20/01, 17h

Atlético x Maringá

Domingo 21/01, 17h

Coritiba x Prudentópolis
Foz do Iguaçu x Londrina
Cianorte x Rio Branco

Domingo 21/01, 19h

Toledo x Cascavel

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos