Topo

Futebol


Inter vai pagar Anderson até 2020 após rescisão amigável com o meia

Alexandre Lops/AI Inter
Aos 29 anos, Anderson fica livre no mercado. Inter pagará dívida pela rescisão Imagem: Alexandre Lops/AI Inter

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

19/01/2018 04h00

Anderson não é mais jogador do Internacional, mas seguirá recebendo do clube. A rescisão amigável, que antes chegou a ser dada como improvável, saiu com direito a parcelamento e acordo por um valor menor do que o previsto inicialmente. O Colorado pagará cerca de R$ 4 milhões ao meia em 30 meses. O custo de Anderson até 2020 para o Inter, portanto, será de R$ 133 mil a cada 30 dias.

Contratado no início de 2015, o ex-jogador de Grêmio, Porto e Manchester United foi anunciado como grande reforço e fechou contrato pesado, com cerca de R$ 500 mil de salário e todo o valor na carteira de trabalho. O recurso adotado no vínculo eleva o custo mensal com o atleta pelos impostos recolhidos.

Aos olhos do Internacional, o acordo foi benéfico. Além de reduzir o valor mensal, o Colorado também deixa de ter um atleta para encaixar no mercado. Em 2017, o Coritiba levou Anderson por empréstimo e pagando metade dos vencimentos.

Anderson se apresentou em 8 de janeiro ao Beira-Rio e a negociação para rescisão começou dias depois. Nesta semana, ele e outros sete atletas foram colocados para treinar com o Inter B, em Alvorada. A rescisão foi assinada no início da tarde de quinta-feira.

Tanto Inter quanto Anderson celebraram a conversa que culminou com o acerto. O clube agradeceu a sensibilidade do meia para topar parcelamento e, principalmente, acordo. A conta original previa pagamento de cerca de R$ 7 milhões ao jogador.

Antes de rescindir, Anderson esteve na mira do Cruz Azul-MEX. O time, no entanto, fechou com Walter Montoya. O negócio com o argentino acabou sendo duplamente prejudicial ao Inter, pois Anderson seguiu no clube. Agora ele não segue mais.

Mais Futebol