"Não sei se Neymar trabalha 100% para o PSG", cutuca presidente do Lyon

Do UOL, em São Paulo

  • Christophe Simon/AFP

    Neymar em ação pelo PSG durante jogo contra o Dijon

    Neymar em ação pelo PSG durante jogo contra o Dijon

Às vésperas de ver seu time jogar contra o Paris Saint-Germain, Jean Michael-Aulas, dono e presidente do Lyon, fez críticas à gestão de Nasser Al-Khelaïfi, que ocupa o mesmo cargo nos parisienses e preside o site de apostas beIN. Sobrou até a Neymar, que foi acusado de ajudar a promover a Copa do Mundo de 2022, que será no Qatar, terra natal do gestor de seu clube.

"Não é apenas uma impressão. É uma falta de justiça. Existe o conflito de interesses com o site de apostas, existe o assunto geral de conformidade com as regras do fair play financeiro. Neymar, por exemplo, não sei se ele é um empregado 100% do Paris Saint-Germain ou um funcionário do Qatar em meio período para a Copa do Mundo", disse Aulas, em entrevista ao jornal francês "Le Parisien".

"O PSG, como uma vitrine do futebol francês internacionalmente, é magnífico. Quando o PSG ganhar a Liga dos Campeões, o futebol francês se beneficiará. Eu não sou 100% negativo, estou tentando fazer uma análise objetiva. Eu não quero ser rotulado de anti-parisianismo, anti-PSG ou anti-Nasser. Eu digo coisas, com frequência, um pouco mais cedo do que outros sem medo de puxarem minha orelha", completou.

Neymar foi comprado antes da temporada 2017/2018 por 222 milhões de euros (R$ 874,1, na cotação atual) e se tornou o jogador mais caro da história do futebol. Neste domingo (21), o atacante brasileiro estará em campo pelo PSG contra o Lyon às 18h (de Brasília), no Stade des Lumières, pela 22ª rodada do Campeonato Francês.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos