Lateral ex-Real dá chilique em Portugal e depois pede desculpas à torcida

Do UOL, em São Paulo

O lateral Fabio Coentrão perdeu a linha na última sexta-feira (19), em jogo do Campeonato Português entre Sporting e Vitória de Setúbal. O ex-jogador do Real Madrid deu um chilique nos acréscimos do segundo tempo partida, quando o time de Lisboa vencia a partida por 1 a 0.

Aos 48min do segundo tempo, o zagueiro Mathieu fez falta em Edinho dentro da área a arbitragem anotou o pênalti. Titular do Sporting, Coentrão se revoltou com a decisão, gritando com o árbitro da partida e tentando evitar que a cobrança fosse realizada – pegou a bola e deu um chutão para longe.

O defensor do Sporting foi punido com um cartão amarelo e substituído pelo técnico Jorge Jesus, que colocou Doumbia em seu lugar. O escândalo de Coentrão não parou por aí: ao chegar no banco do Estádio do Bonfim, o lateral esquerdo começou a socar a cobertura e se sentou aos prantos.

Edinho cobrou a penalidade com sucesso e o Vitória de Setúbal arrancou o empate por 1 a 1, que fez com que o Sporting perdesse a liderança da competição para o Porto, que bateu o Tondela na sexta-feira e assumiu a ponta do Campeonato Português com 48 pontos, um a mais que o Sporting.

Já neste sábado, Coentrão publicou um pedido de desculpas para os torcedores do Sporting e explicou a reação intempestiva, a qual justificou pelo desejo de vencer.

"Nem sempre, dentro do campo, as coisas correm como queremos. Fomos à luta, não fomos felizes e isso deixou-nos revoltados. Vivo cada jogo como se fosse o último da minha vida. Não gosto de perder e, muito menos, quando é proibido fazê-lo", afirmou o jogador.

"Quero ser campeão pelo meu Sporting CP. Senti-me frustrado e reagi como sou, autêntico e genuíno. Sou um homem e não uma máquina. Que me desculpem todos aqueles que fazem parte da Família Sportinguista pelo que fizemos e por alguma atitude menos refletida no jogo em Setúbal", continuou.

"A mágoa e a revolta pelo que ontem aconteceu continuam, e pensei em todos aqueles que, no estádio ou na televisão, também sentiram o mesmo que eu senti. O futuro é já o próximo jogo, na quarta-feira. O destino de todos nós, Sportinguistas, é sermos felizes. E vamos sê-lo, com atitude e compromisso. A nossa união continua a ser de aço!", concluiu.

 

Nem sempre, dentro do campo, as coisas correm como queremos. Fomos à luta, não fomos felizes e isso deixou-nos revoltados. Vivo cada jogo como se fosse o último da minha vida. Não gosto de perder e, muito menos, quando é proíbido fazê-lo. Quero ser campeão pelo meu Sporting CP. Senti-me frustrado e reagi como sou, autêntico e genuíno. Sou um homem e não uma máquina. Que me desculpem todos aqueles que fazem parte da Família Sportinguista pelo que fizemos e por alguma atitude menos refletida no jogo em Setúbal. A mágoa e a revolta pelo que ontem aconteceu continuam, e pensei em todos aqueles que, no estádio ou na televisão, também sentiram o mesmo que eu senti. O futuro é já o próximo jogo, na quarta-feira. O destino de todos nós, Sportinguistas, é sermos felizes. E vamos sê-lo, com atitude e compromisso. A nossa união continua a ser de aço!

Uma publicação compartilhada por Fábio Coentrão (@fabio_coentrao)

em

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos