"Precisamos de ritmo", diz Marcos Guilherme para explicar mudanças no SP

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Marcos Guilherme jogou as duas partidas do São Paulo até aqui em 2018

    Marcos Guilherme jogou as duas partidas do São Paulo até aqui em 2018

Há menos de uma semana, o técnico Dorival Júnior dizia que as diretrizes do São Paulo não seriam alteradas por causa de eventuais resultados ruins no início do Campeonato Paulista. Ou seja, o Tricolor teria revezamento de titulares e reservas nas primeiras rodadas. Mas com apenas um ponto e nenhum gol marcado em duas partidas, o planejamento deve ser alterado já para o duelo de quarta-feira, às 21h45, contra o Mirassol.

Desde sábado, após o 0 a 0 com o Novorizontino, o discurso dos jogadores e de Dorival começava a apresentar novo tom. Diego Souza pediu para jogar mais e Rodrigo Caio também falou em acelerar a preparação de um time. Nesta segunda-feira, foi a vez do atacante Marcos Guilherme endossar a ideia de que o ritmo de jogo será mais importante neste início de temporada.

"O planejamento era outro quando o Dorival começou. Mas precisamos de ritmo de jogo, jogando. Dorival está pensando nisso. Quanto antes ele der rodagem para equipe, antes vamos estar bem. Quem está saindo sabe que será importante ao longo da temporada. É difícil iniciar perdendo e empatando, mas a equipe está confiante naquilo que pode render", opinou o camisa 23.

Pelo planejamento inicial, o São Paulo usaria reservas contra o Mirassol e titulares contra o Corintihans, no sábado. Depois, na quinta-feira da próxima semana, possivelmente seria usado um time misto contra o Madureira, na primeira fase da Copa do Brasil. Agora, não haverá mais essa divisão fixa. Quem estiver em condições de jogar entre os principais jogadores, será titular. O objetivo é dar uma resposta em campo de que 2018 será diferente do drama vivido na temporada passada, principalmente depois da saída surpreendente de Hernanes.

"Já é novo ano, novas expectativas. Não podemos carregar o que passou no ano passado agora. Não temos de carregar esse peso. É impossível substituir à altura o Hernanes. A nossa equipe sentiu bastante, mas precisamos achar soluções. Ainda é muito cedo para começar com essa pressão toda. Nós, jogadores, comissão, temos de ter a mente muito forte. Temos certeza que vamos crescer muito", projetou.

Marcos Guilherme esteve em campo nas duas partidas do ano, uma como titular e outra acionado no segundo tempo. Além dele, Sidão e Brenner foram os únicos utilizados por Dorival nos embates contra São Bento e Novorizontino.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos