Willian José luta contra burocracia para sonhar com Copa pela Espanha

Thiago Arantes

Colaboração para o UOL, na Espanha

  • Vincent West/Reuters

O atacante brasileiro com mais gols no Campeonato Espanhol pode disputar a Copa do Mundo pela seleção… espanhola. A história de Diego Costa em 2014 pode voltar a se repetir neste ano com um velho conhecido das torcidas de São Paulo, Grêmio e Santos. Em alta na Real Sociedad, Willian José vive o sonho de ir à Rússia, mas não necessariamente vestindo verde e amarelo.

Com nove gols marcados em 20 rodadas, Willian está um à frente do meio-campista Paulinho, destaque do Barcelona, na liderança entre os artilheiros brasileiros na Liga. Com cinco gols marcados na Europa League, ele chega a 14, mesmo número que em toda a temporada passada.

Desde a metade do ano passado, o atacante já colocou-se mais de uma vez à disposição de Julen Lopetegui, técnico da seleção da Espanha, para vestir-se de vermelho. Em novembro, quando falou abertamente sobre o assunto pela última vez, ele elogiou o treinador espanhol pelas variações nas listas de convocados, e disse que no Brasil "sempre convocam os mesmos".

Para evitar possíveis polêmicas com o treinador Tite, Willian suspendeu todas as entrevistas à mídia brasileira desde então. Mas, apesar de polêmica, a última entrevista do atacante parece correta: as vagas no ataque da seleção nacional estão praticamente definidas, com Gabriel Jesus e Roberto Firmino consolidados, e Diego Souza correndo por fora.

Na Espanha, por sua vez, Julen Lopetegui ainda tem dúvidas. Desde que assumiu o comando da seleção, o treinador tem testado diferentes jogadores no ataque. Na última lista, os escolhidos foram Álvaro Morata, que vive má fase no Chelsea, e Rodrigo, outro brasileiro naturalizado, um dos destaques da boa temporada do Valencia.

Os dois, contudo, têm a concorrência de Diego Costa, que voltou a jogar após seis meses parado e já retomou as boas atuações na volta ao Atlético de Madrid, mas sentiu uma lesão neste fim de semana. A lista de centroavantes que já foram testados por Lopetegui tem ainda Paco Alcácer, reserva do Barcelona, e os veteranos Aritz Aduritz, do Athletic Bilbao, e até David Villa, que defende o NY City, na MLS.

Em outras posições do ataque, os nomes multiplicam-se: Marco Asensio e Lucas Vásquez, do Real Madrid, Suso, do Milan, Iago Aspas, do Celta, José Callejón, do Napoli, Vitolo, do Atlético de Madri, Pedro, do Chelsea, Deulofeu, do Barcelona e Nolito, do Sevilla, disputam um lugar na Rússia.

Mas, antes de entrar na briga direta com todos eles, Willian José precisa vencer um adversário que pode ser ainda mais duro: a burocracia espanhola. O jogador já deu entrada no processo para obter a cidadania espanhola, mas não há previsão de quando poderia ter o passaporte europeu.

Nos últimos anos, o trâmite legal - que costumava demorar entre seis meses e um ano - tornou-se ainda mais lento, chegando até a três anos, devido ao crescimento no número de pedidos.

Os cidadãos de países latino-americanos podem dar entrada no processo após dois anos de residência legal no país. Além deste pré-requisito e de uma longa lista de documentos, há ainda a necessidade de fazer uma prova de conhecimentos sobre cultura espanhola (com perguntas como "Qual é a profissão de Enrique Iglesias?" ou "Qual é a capital da Catalunha?") e uma prova de nível básico do idioma.

Depois de tudo isso, vem a espera. É exatamente nesta fase que Willian José está. "Pode sair em uma semana, em um mês ou em um ano", disse ao UOL Esporte uma pessoa próxima ao jogador. Historicamente, os processos de jogadores extracomunitários - gestionados por advogados dos clubes - costumam funcionar em prazos mais curtos que os demais.

Caso o processo se acabe em tempo para uma convocação, o atacante brasileiro aposta no fato de Julen Lopetegui seguir de perto a Real Sociedad. O treinador foi formado nas categorias de base do clube basco, do qual foi goleiro desde o Infantil até o time B, com o qual jogou a terceira divisão espanhola.

Além do vínculo afetivo, Lopetegui tem motivos profissionais para acompanhar o ex-clube: desde 2016, ele já convocou três jogadores da equipe: o zagueiro Iñigo Martínez, o volante Asier Illarramendi e o atacante Mikel Oyarzábal.

A seleção espanhola volta a jogar em 23 de março, quando enfrentará a Alemanha, em amistoso. Quatro dias depois, enfrentará a Holanda. A convocação será anunciada no início de março.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos