Por onde andam os destaques dos últimos títulos de SP e Fla na Copinha

Do UOL, em São Paulo e no Rio

  • Gabriel Bouys/AFP Photo

    Casemiro foi campeão da Copinha com o São Paulo em 2010

    Casemiro foi campeão da Copinha com o São Paulo em 2010

São Paulo e Flamengo se enfrentam na quinta-feira (25) na final da Copa São Paulo de Juniores, às 10h. Mas por onde andam os destaques das últimas campanhas vitoriosas desses clubes na competição?

O São Paulo foi campeão da Copinha pela última vez em 2010 ao bater o Santos nos pênaltis após um empate em 1 a 1 no tempo normal. O goleiro Richard foi o grande herói do título ao defender três cobranças. Uma das penalidades foi convertida pelo meia-atacante Lucas Moura. Mas dos onze titulares são-paulino que entraram em campo naquela manhã, o que teve mais sucesso como profissional foi o volante Casemiro, hoje titular do Real Madrid.

O Flamengo também precisou de pênaltis para levantar seu último troféu da Copinha. Em 2016, os cariocas vencerem o Corinthians após um empate em 2 a 2 na final. Destaques daquele time, como Lucas Paquetá e Felipe Vizeu, se tornariam logo peças importantes da equipe profissional.

Veja por onde andam os destaques dos últimos títulos de São Paulo e Flamengo na Copa São Paulo de Juniores.

São Paulo, campeão em 2010

Richard (goleiro). Paraná.

Após defender as três cobranças na final, o goleiro foi emprestado a times menores do interior paulista até o fim de seu contrato. No ano passado, foi emprestado do Água Santa, de Diadema, ao Paraná. Acabou se tornando titular e peça fundamental na campanha de acesso à Série A. Com empréstimo renovado, deve jogar a primeira divisão em 2018.

Bruno Uvini (zagueiro). Al Nassr da Arábia Saudita.

Reprodução/Instagram

Capitão da seleção brasileira que conquistou o mundial sub-20 em 2011, Bruno Uvini chegou a ser convocado para o time principal e foi medalha de prata na Olimpíada de Londres-2012. Na Europa, chegou a defender o Tottenham, o Napoli e o Siena antes de voltar ao Brasil para vestir a camisa o Santos. Também foi emprestado ao Twente da Holanda. Hoje joga pelo Al Nassr, da Arábia Saudita.

Casemiro (volante). Real Madrid.

Ele era conhecido como Carlão (seu primeiro nome é Carlos) em seus anos iniciais na base tricolor. Após o título da Copinha, subiu ao time principal e começou a se destacar. Foi emprestado ao Real Madrid B em 2013. Os merengues o compraram definitivamente meses depois. Com o time espanhol, Casemiro levantou três troféus da Liga dos Campeões.

Lucas Moura (meia-atacante). PSG.

Franck Fife/AFP

Hoje em baixa no PSG, Lucas Moura foi um dos grandes nomes da campanha vitoriosa do São Paulo na Copinha de 2010. Revelado pelo Corinthians, ele tinha ganhado o apelido de Marcelinho pela semelhança física com o antigo meia corintiano. Oito meses de ser campeão e já no time profissional, Lucas pediu para ser chamado por seu nome de batismo.  

Lucas Gaúcho (atacante). Jorge Wilstermann da Bolívia.

Ele foi o artilheiro daquela edição do torneio, mas não conseguiu mostrar futebol para se firmar no time de cima. Após sair do São Paulo, Lucas peregrinou por centro menores e jogou da Tailândia ao Vietnã, da Lituânia a Israel. Neste ano, fechou com o Jorge Wilstermann, da Bolívia, e deve jogar a fase preliminar da Libertadores.

Flamengo, campeão em 2016.

Thiago (goleiro). Flamengo.

Goleiro do último título do Flamengo, Thiago tem moral dentro do clube. Após a contratação de Diego Alves e a má fase de Muralha, foi ele quem assumiu a meta rubro-negra em momento decisivo até sofrer lesão na mão. Com o início do ano e com o titular no departamento médico, o jovem jogador começa a temporada no time titular.

Léo Duarte (zagueiro). Flamengo.

Gilvan de Souza/ Flamengo

A defesa do Flamengo tem sido alvos de críticas nos últimos anos. Léo Duarte é visto com bons olhos pela torcida, mas conta com poucas oportunidades desde que foi promovido aos profissionais. Juan, Réver e Rhodolfo são os que mais jogam. Enquanto isso o jovem atleta treina à espera da sua chance.

Matheus Sávio (meia). Estoril de Portugal.

Xodó de Zé Ricardo, Matheus Sávio era titular do time do Flamengo sob o comando do treinador no início de 2017. Porém, a falha cometida diante do San Lorenzo, foi pesada demais para o jovem apoiador, que perdeu espaço no elenco e passou a sofrer com a perseguição da torcida. Desde então, não conseguiu manter sequência com a camisa rubro-negro. Foi emprestado ao Estroil-POR.

Lucas Paquetá (atacante). Flamengo.

Buda Mendes/Getty Images

É quem tem maior destaque do time campeão em 2016. Veloz e muito habilidoso, Lucas Paquetá tem jogado em várias posições no Flamengo. Até de camisa 9, que não é sua especialidade, ele jogou. Para se ter uma ideia, o jogador passou a frente de jovens mais badalados como Vinicius Júnior e tem vivido lua de mel com a torcida rubro-negra.

Felipe Vizeu (atacante). Flamengo.

Um dos destaques da campanha de 2016, Felipe Vizeu tem vivido altos e baixos nos profissionais. Após surgir muito bem e ganhar concorrência de Leandro Damião, o atacante caiu de produção e ficou encostado no clube por longos meses. Com Reinaldo Rueda, no fim da última temporada, teve nova oportunidade e agarrou. Novamente vive bom momento e será bastante utilizado com a suspensão de Guerrero.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos