Corinthians quita metade das dívidas do futebol em quase um ano

Dassler Marques e Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Dívida ligada à compra Giovanni Augusto foi quitada pelo clube após atraso

    Dívida ligada à compra Giovanni Augusto foi quitada pelo clube após atraso

O Corinthians conseguiu conquistar dois títulos na temporada passada e avançou também em relação às finanças do departamento de futebol. Depois de acumular problemas no setor, o clube tem conseguido quitar algumas pendências, ainda que não tenha tudo equacionado.

Nove meses depois de mostrar dez dívidas corintianas [relembre aqui], o UOL Esporte constatou que o departamento financeiro quitou ou iniciou o pagamento de metade delas. Elas são ligadas às contratações de Kazim, Giovanni Augusto e Guilherme, além da venda do volante Petros ao Betis-ESP, ainda em 2015.

De acordo com clubes e pessoas ligadas aos atletas em questão, quatro dívidas estão à espera de pagamento. O clube, por sua vez, admite que apenas duas ainda não foram solucionadas. Uma outra pendência, segundo o Corinthians, será resolvida nas próximas semanas, pois o dinheiro já está à disposição no caixa.

Para quitar essas dívidas, o Corinthians usou a estratégia de priorizar o pagamento dos valores mais altos. A informação foi confirmada pelo ex-diretor financeiro Emerson Piovezan, que deixou o cargo em dezembro passado.

Embora tenha conseguido solucionar boa parte dos casos, o Corinthians poderia ter tido mais recursos para quitar todas as dez pendências. No ano passado, por exemplo, o clube deixou de arrecadar R$ 18 milhões em patrocínios depois de recusar uma proposta de renovação da Caixa Econômica Federal para o espaço master da camisa de jogo.

O banco estatal ofereceu R$ 18 milhões por oito meses de contrato (ou R$ 2,25 milhões mensais). No antigo vínculo, o antigo parceiro pagava R$ 2,5 milhões mensais (ou R$ 30 milhões por ano). O rompimento aconteceu em abril e em seguida o clube conseguiu apenas patrocínios pontuais para o master. No Brasileirão, o time campeão brasileiro e estadual só atuou com uma marca no espaço a partir da 25ª rodada.

Confira como estão os casos listados pelo UOL em abril:

Kazim (Pago)

Daniel Vorley/AGIF

O Corinthians comprou o atacante turco no começo do ano passado por R$ 1,2 milhão. Até abril, porém, o clube alvinegro não tinha repassado nenhuma parcela ao Coritiba. As partes fizeram um novo acordo em maio, quando os paulistas iniciaram, de fato, o pagamento. Segundo o time paranaense, a dívida está quitada.

Luidy (Pendente)

O atacante, que hoje está emprestado ao Ceará, foi comprado pelo Corinthians no fim de 2016. Na ocasião, o clube alvinegro acertou a aquisição de 40% dos direitos econômicos do jogador e se comprometeu a pagar R$ 400 mil. A primeira metade do valor foi pago com oito meses de atraso. A segunda ainda está pendente e a diretoria corintiana admite o problema. Em contato com a reportagem, o presidente do CRB, Marcos Barbosa, prometeu ir à Justiça em breve.

"Era R$ 400 mil e eles pagaram R$ 200 mil depois de oito meses. Completou um ano e até agora nada. Se não for depositado até o fim do mês, vamos entrar na justiça. Quebra de contrato, aí o jogador volta para o CBR. Eles têm tanto dinheiro, vendem jogador e tudo", disse.

Giovanni Augusto (pago)

O Corinthians acertou a compra do meio-campista há dois anos e se comprometeu a pagar R$ 14 milhões em três parcelas. Até abril do ano passado, o terceiro repasse, cujo valor era de R$ 4 milhões, ainda não tinha sido feito. A dívida foi quitada.

Agente de Giovanni Augusto (em andamento)

A comissão aos intermediários da transferência, o ex-jogador Roni e seu sócio Wagner Cruz, foi dividida em 29 vezes. Em março, o Corinthians tinha deixado de pagar as parcelas por sete meses seguidos. Wagner, entretanto, confirmou que a dívida está sendo paga mensalmente.

Carlinhos (pendente)

Rodrigo Gazzanel/ Ag. Corinthians

Promessa do Novorizontino, o jovem atacante foi comprado pelo Corinthians ainda em 2014. O valor acordado à época, de R$ 500 mil, porém, ainda não chegou aos cofres do time do interior de São Paulo. A diretoria corintiana alega que já houve um acerto após uma cobrança judicial. O presidente do Novorizontino, por sua vez, diz que a dívida ainda existe.

"Ainda não foi concluído o caso, está em andamento com os advogados. Eles nos comunicaram que seria executado, mas não tivemos manifestação nenhuma para o encerramento deste caso", ressaltou Genilson da Rocha.

Petros (pago)

A dívida antiga foi quitada em junho do ano passado, depois que o São Paulo comprou o jogador. Como tinha 25% dos direitos econômicos antes da transação, o Corinthians usou essa porcentagem para quitar a dívida com o Sociedade Esportiva Vitória, clube mais conhecido como SEV Hortolândia e ligado ao agente Fernando Garcia. Após a venda, o clube alvinegro ainda acertou duas pendências com o Hortolândia, ligadas à aquisição do zagueiro Vilson e à venda do meia Matheus Pereira ao Empoli-ITA

Matheus Pereira (pendente)

A venda do meio-campista ainda representou o surgimento de outra dívida, dessa vez com o empresário Bruno Misorelli, da empresa B2F Marketing Esportivo. Dono de 5% dos direitos econômicos do jogador, o agente chegou a acionar a Justiça para receber R$ 503 mil referente ao primeiro pagamento da venda. Segundo pessoas ligadas ao estafe do atleta, o valor ainda não foi repassado. De acordo com o Corinthians, o Empoli ainda não pagou todas as parcelas da venda, sendo, assim, o responsável pelo problema.

Guilherme (pago)

Friedemann Vogel/Getty Images

O jogador que hoje defende o Atlético-PR por empréstimo foi adquirido por pouco mais de R$ 5 milhões divididos em várias parcelas. Depois de atrasos, a última prestação de R$ 1 milhão foi repassada ao Antalyaspor-TUR e, dessa forma, quitada pelo Corinthians ainda no ano passado.

Vitinho (pendente)

O contrato profissional de uma das promessas da base do Corinthians também virou uma dor de cabeça. Em 2016, o jovem meia fechou acordo para recebimento de luvas. Parte dos valores, assim como a comissão de seus empresários, ainda não foi paga pelo clube, que admite o atraso e dia que pagará em breve.

Marlone (em negociação)

O meio-campista foi comprado em 2016 por R$ 4 milhões. O pagamento, segundo acordo entre Corinthians e Penapolense, também ligada a Fernando Garcia, seria feito de forma parcelada. O presidente do clube do interior paulista diz que R$ 1,7 milhão ainda precisa ser pago. O Corinthians afirma que já tem o valor para solucionar o problema e deve fazer isso nas próximas semanas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos