Sevilla oferece Ganso por empréstimo, mas leva "não" de clubes no mercado

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, em Lisboa (POR)

  • Rex Shutterstock/Zumapress

Fora dos planos do treinador Vincenzo Montella e ausente da lista de relacionados nas últimas sete partidas, o meia Paulo Henrique Ganso virou um problema para o Sevilla. Os espanhóis tentam resolver a sua situação e emprestá-lo, mas sofrem com a falta de interessados.

Conforme apurado pelo UOL Esporte, pelo menos três clubes foram procurados diretamente pela equipe andaluz com a proposta de cessão do jogador de 28 anos até o fim da temporada europeia: Deportivo La Coruña, Real Sociedad e Celta de Vigo. Nenhum deles se mostrou animado com o brasileiro e, mesmo tendo de arcar com somente metade de seu salário, disse 'não'.

Uma alternativa que surgiu foi a sua ida para o Besiktas caso as conversas do Changchun Yatai, da China, pelo compatriota Anderson Talisca avancem, mas, a princípio, Talisca não se mostra disposto a se aventurar no futebol asiático.

Representante de Ganso, Giuseppe Dioguardi, o Pepinho, viajou até o continente europeu, esteve com o ex-são-paulino e se reuniu com o Sevilla para discutir o seu futuro com o diretor de futebol Óscar Arias. Ele trabalha a possibilidade de transferência para o Milan.

O estafe do atleta informa que nada mudou em Nervión com a troca no comando técnico e que ele trabalha normalmente, embora o comportamento de Arias no mercado aponte no sentido contrário. Existe pressa por parte do clube para definir o seu empréstimo em virtude da necessidade de aliviar a folha salarial para a chegada de reforços.

Um retorno ao Brasil está descartado neste momento

Com a saída do argentino Eduardo Berizzo, em dezembro, havia a expectativa de que Ganso, enfim, pudesse ter a sequência desejada no estádio Ramón Sánchez Pizjuán. Ele havia balançado as redes no último compromisso pela Liga dos Campeões, contra o Maribor, da Eslovênia, e o retrospecto do Sevilla é excelente com a sua presença em campo – apenas uma derrota em 11 partidas em 2017/18.

Segundo ouviu a reportagem, ele estranhava decisões de Berizzo, como em uma ocasião em que deixou outro meia de fora dos convocados, foi obrigado a inclui-lo de última hora e, em substituição durante o jogo, recorreu a esse atleta que havia sido excluído em detrimento do seu nome.

O mesmo mal-estar havia acontecido com o também argentino Jorge Sampaoli, com quem Ganso não emplacou da mesma forma.

Montella é o terceiro treinador que deixa o meio-campista no fim da fila por uma oportunidade entre os titulares. Não se alinhar ao estilo de pressão alta defendido pelo comandante italiano seria o suposto motivo dessa vez.

O número escasso de chances provoca até mesmo chacota nas redes sociais. Em publicação antes da vaga nas semifinais da Copa do Rei, na última terça-feira, 23, o Sevilla fez uma contagem regressiva de hora em hora para o confronto com o Atlético de Madri que gerou risos pela tradução equivocada, claro, da mensagem que acompanhou o brasileiro.

 

Procurado pelo UOL Esporte, o diretor Óscar Arias se negou a falar sobre Ganso. Sem passaporte europeu, ele tem contrato até junho de 2021 e recebe em torno de 2 milhões de euros anuais (R$ 7,6 milhões).
 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos