Presidente do PSG rebate rumores e diz que Neymar não deixará o clube

Do UOL, em São Paulo

  • Valery Hache/AFP

    Nasser Al-Khelaifi, presidente do PSG, confia na permanência de Neymar

    Nasser Al-Khelaifi, presidente do PSG, confia na permanência de Neymar

A grande atuação de Neymar contra o Montpellier neste sábado, com dois gols e participação na jogada de outro, não esfriou os rumores crescentes das últimas semanas, que dão conta de um suposto interesse do Real Madrid em contar com o brasileiro. Por isso, o presidente do PSG teve que vir a público se pronunciar sobre o caso.

Após a vitória por 4 a 0, Nasser Al-Khelaifi rebateu as especulações (muitas vindas da Espanha) e disse que Neymar cumprirá seu contrato na França. O presidente do PSG ainda afirmou que o momento é de concentração nas oitavas de final da Liga dos Campeões, que acontecem em fevereiro, justamente contra o Real Madrid. 

"Veja como Neymar está feliz no campo, ele está muito feliz. Eu falo com ele e sua família. Ele está feliz em Paris. Temos um excelente jogo para jogar contra o Real Madrid, estamos focados. Pensamos em nós mesmos, nossa equipe e nossos jogadores. Neymar nunca deixará o time no final da temporada", manifestou Al-Khelaifi, em declaração reproduzida pelo jornal "Le Parisien".

O dirigente nascido no Qatar ainda exaltou a parceria entre Neymar e Cavani, que funcionou bem na goleada sobre o Montpellier neste sábado.

"Penso que Neymar e Cavani realmente têm um relacionamento muito bom. Mas os jornalistas também, mais uma vez, criticam, tentam criar problemas onde não existe. Há um lindo relacionamento", afirmou o presidente do PSG.

Neymar e Cavani trocaram abraços efusivos nas comemorações de gols do PSG neste sábado, aparentemente num novo momento da relação. Nesta temporada, os atacantes brasileiro e uruguaio protagonizaram uma crise entro do elenco, especificamente sobre quem seria o cobrador de pênaltis oficial do time.

Em algumas partidas, ambos chegaram a ter diálogos ríspidos em público, antes de cobranças de pênalti. No entanto, mesmo sem uma definição formal do técnico Unai Emery, Neymar parece ter ganhado a disputa.

Em 17 de janeiro passado, Neymar foi vaiado pela torcida do PSG durante vitória sobre o Dijon, por 8 a 0. Na oportunidade, o brasileiro não cedeu a cobrança de pênalti a Cavani, que poderia bater o recorde de gols já naquele momento. O camisa 10 já havia anotado três gols naquele jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos