Brant se manifesta pela 1ª vez após eleição e ataca Campello: "Seja homem"

Do UOL, em São Paulo

  • Bruno Braz/UOL Esporte

    Julio Brant e Alexandre Campello romperam aliança na véspera da votação do Conselho

    Julio Brant e Alexandre Campello romperam aliança na véspera da votação do Conselho

Candidato à presidência do Vasco no último pleito, Julio Brant se manifestou pela primeira vez após o que considera uma "traição" no processo político do clube: Alexandre Campello, que seria seu vice-geral em caso de eleição, deixou a chapa na véspera da reunião do Conselho Deliberativo que definiria o novo mandatário, ganhou apoio de aliados do ex-presidente Eurico Miranda e tornou-se presidente do Vasco. Por meio de um vídeo publicado nas redes sociais, Brant atacou Campello e se pronunciou sobre as últimas declarações de seu ex-vice.

"Não pense que você me traiu, e a indignação das ruas prova isso. Você traiu milhões de vascaínos que estavam representados nas pessoas que votaram nessa mudança. As ameaças que você (Campello) diz receber não têm a ver comigo, e sim com a traição que você fez, porque estão indignados com sua postura, seu caráter. O estelionato eleitoral que você cometeu é que está gerando onda de raiva contra você. Então seja homem, assuma você as suas responsabilidades (...) A grande indignação do vascaíno hoje é você passar a campanha falando contra o Eurico e no dia da eleição se juntar a ele. O que você fez na Lagoa não foi tirar o Eurico, e sim fazer mais forte ainda. O presidente do Vasco é do Eurico, ele que fez. É uma tristeza e o enfraquecimento da nossa visão de modernizar o clube, e o fortalecimento daquela tradicional política que tem levado o clube ao buraco", bradou Julio Brant.

Ao longo do vídeo, o candidato derrotado à presidência do Vasco fez agradecimentos aos seus apoiadores e rebateu declarações que Alexandre Campello tem feito desde o dia 20 de janeiro, quando foi eleito. Segundo Brant, o grupo de Campello buscava metade dos cargos da possível nova gestão, vazou informações sigilosas e não teve frequência nas reuniões entre advogados ligados a Brant e Fernando Horta que determinaram a anulação da polêmica urna 7.

Apesar das declarações em tom de confronto, Brant também fez discurso pacifista para o futuro do Vasco. Segundo ele, seu grupo fará cobranças e fiscalização no Conselho Deliberativo, mas o momento é de união.

"Nós não vamos desistir nunca do Vasco, nunca. Mas agora é hora de parar com política, foram três anos de mandato do Eurico, então é cobrar, mas olhar um pouco o Vasco, trazer normalidade para o clube. Chegou o momento de apoiar o clube, de virar a página da política e torcer pelo Vasco, tornar o clima mais leve dentro do clube (...) Internamente é fiscalização, monitoramento de cada passo dado por essa gestão. Vamos estar vigilantes e atentos. Nossa principal bandeira será lutar por diretas já, chegou a hora do voto do sócio valer de verdade, não ser um grande teatro".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos