De Gabriel Jesus a Firmino: boleiros aliviam saudade em cantinho brasileiro

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Manchester (ING)

  • Caio Carrieri/Colaboração para o UOL

O sonho do futebol europeu tem o bônus da projeção internacional ao atuar nas grandes ligas e a possibilidade de receber salários astronômicos em clubes de ponta. O ônus, por outro lado, passa pela distância da família e dos costumes do Brasil, como da comida. Por isso, um mercadinho de Manchester é sucesso entre os jogadores brasileiros que atuam mais ao norte da Inglaterra, por Manchester City e Liverpool.

Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Para aliviar a saudade da culinária do país natal, Gabriel Jesus, Fernandinho, Ederson, Danilo (Manchester City) e Roberto Firmino (Liverpool), todos convocados por Tite nas últimas listas da seleção, abastecem a geladeira e a despensa de casa no "Brasil Market", comércio aberto há um ano por Borman Litig, 48, em Salford, na grande Manchester.

"O primeiro a vir aqui foi o Fernandinho", conta o capixaba de Aracruz, sobre o veterano da legião brasileira na Premier League após a saída de Philippe Coutinho do Liverpool para o Barcelona. "Com a chegada dos outros brasileiros, ele pegou comigo alguns cartões do mercado e repassou", relata o ex-funcionário de uma churrascaria brasileira da cidade.

Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Com grande variedade de produtos, a clientela pode comprar desde açaí até panela de pressão, utensílio de cozinha essencial no preparo do feijão caseiro, mas inexistente nos supermercados ingleses. "O item mais diferente que um jogador comprou até hoje foi um filtro de barro" diz sobre a aquisição de Fernandinho, por 60 libras (R$ 266) pela invenção genuinamente brasileira da virada do século XIX para o século XX a fim de deixar a água pura e fresca.

"Mas o meu melhor cliente, entre todos, sendo jogador ou não, é o Firmino. Ele vem e faz a compra do mês mesmo", comemora Litig. "O que não pode faltar para ele é a picanha uruguaia", revela a respeito da peça de carne nobre ao custo de 18,90 libras (R$ 84) o quilo. O atacante do Liverpool viaja 56 km até Manchester para também poder saborear pão de queijo e outras guloseimas típicas do Brasil. "Eu ainda perdi um cliente potencial que era o Coutinho", brinca, em alusão à transferência para o Barcelona.

Dentre os boleiros, Gabriel Jesus é quem mora mais perto do mercado. "Ele vem a pé com os amigos e o irmão e eles garantem arroz, feijão e guaraná", acrescenta o proprietário, flamenguista. "Aqui os jogadores se sentem em casa, como pessoas normais", complementa Nirlia, esposa e sócia de Borman. "Todos são muito simpáticos e atenciosos. Alguns amigos deixam camisas dos times para eles autografarem e eles assinam tudo, com o maior prazer".

A presença constante dos astros brasileiros na loja já estreitou os laços além da relação vendedor e clientes. "Outro dia eu estava no aniversário da filha do Firmino, e o Fernandinho veio me perguntar sobre a minha saúde, porque sofri um infarto no ano passado", relembra o comerciante. "É uma emoção para mim ao vê-los no meu mercadinho e saber que ajudo de alguma forma", finaliza.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos