No Barça, Coutinho começa fora da zona de conforto e já "treina" para Tite

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • REUTERS/Albert Gea

    No primeiro jogo como titular, Coutinho atuou a maior parte aberto pelo lado direito

    No primeiro jogo como titular, Coutinho atuou a maior parte aberto pelo lado direito

São 88 minutos de Philippe Coutinho em campo com a camisa Barcelona. Durante grande parte deste período, dividido nos pouco mais de 20min contra o Espanyol pela Copa do Rei e a estreia como titular diante do Alavés, o meia saiu da sua zona de conforto no esquema de Ernesto Valverde ao permanecer boa parte do jogo aberto pelo lado direito. O lado positivo? O início de trajetória no Barça serve como um treino para a seleção.

Coutinho se firmou como um dos principais jogadores do planeta e virou a maior contratação da história barcelonista por apresentar-se no mais alto nível no Liverpool. Com a camisa do clube britânico, o meia brasileiro se notabilizou por atuar mais aberto pelo lado esquerdo, com liberdade de movimentação para o centro a fim de se aproximar dos atacantes e encontrar espaço para os arremates de longe.

O próprio Coutinho admite que atuar pelo lado esquerdo potencializa o seu futebol. Quando Neymar estava suspenso da partida contra a Venezuela, pelas eliminatórias da Copa do Mundo, o então jogador do Liverpool atuou pela esquerda no meio-campo e não escondeu a satisfação.

"Jogar ali pela esquerda é a posição em que jogo no clube [Liverpool]. Caso seja escolhido para jogar ali, com certeza vou estar mais acostumado. Jogar é sempre bom, é a posição que mais jogo e fico mais à vontade", declarou, em entrevista coletiva dias antes do duelo na Venezuela.

No Barça, neste primeiro jogo como titular, Ernesto Valverde escalou o brasileiro pelo lado direito, em setor explorado também por Tite. Na seleção, Coutinho tem um concorrente imbatível na mesma faixa do campo: Neymar. O hoje camisa 14 do Barcelona se firmou como titular absoluto da equipe pentacampeã mundial somente quando saiu da própria "zona de conforto".

No 4-1-4-1 da seleção, o hoje reforço mais caro da história do clube catalão é o atleta aberto pela direita. Assim como na escalação do último domingo contra o Alavés, quando Andrés Iniesta jogou pelo lado esquerdo. A adaptação com a camisa amarela agora também pode ocorrer em muitas ocasiões – principalmente quando Iniesta estiver em campo.

NELSON ALMEIDA/AFP
Na seleção, Coutinho tem Neymar como concorrente imbatível na sua zona de ação preferida

No lado da "perna boa", os arremates de longe diminuem; o gol de canhota (Coutinho é destro) contra o Paraguai, em São Paulo, é um raro exemplo de chutes certeiros atuando pelo lado direito. Contra a Argentina, talvez na melhor atuação com a camisa da seleção, o meia anotou um golaço se deslocando da esquerda para o centro e arrematando de longe.

Diante do Alavés, foi do lado que está mais acostumado em jogar que o meia encontrou espaço e quase anotou o primeiro gol com a camisa do Barça. Coutinho pegou rebote na entrada da área, cortou o zagueiro da "esquerda para o centro" e viu o chute desviar em um zagueiro antes de passar próximo à trave adversária.

Com Iniesta saudável, inevitavelmente Coutinho vai atuar pelo lado direito. O lado positivo é que o meia agora encontra no próprio clube um cenário para tornar o seu jogo também natural pela direita. Tite, que já admitiu pensar no meia em uma função mais centralizada, agradece pelos meses de "treinamento" antes do Mundial da Rússia

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos