PSG vai à final da Copa da Liga após expulsão de Mbappé e árbitro de vídeo

Do UOL, em São Paulo

O PSG venceu o Rennes por 3 a 2 e está na final da Copa da Liga Francesa, mas não faltou confusão e tensão na partida que definiu a vaga nesta terça-feira (30). Foram vários desentendimentos e quatro intervenções do árbitro de vídeo, que anulou um gol dos parisienses, dois dos donos da casa e rendeu um cartão vermelho a Mbappé, o primeiro de sua carreira.

Quando a bola rolou normalmente, os gols do PSG foram feitos por Meunier (um golaço), Marquinhos e Lo Celso. O Rennes descontou com Sakho e Prcic. A surpresa da vez foi a ausência de Cavani, que passou os 90 minutos no banco. O outro finalista do torneio será conhecido nesta quarta, às 18h05 (de Brasília), em jogo entre Monaco e Montpellier.

Loic Venance/AFP

O VAR trabalhou muito

Se a tecnologia do árbitro de vídeo ainda precisa ser testada ao redor do planeta, esta partida foi um bom treinamento: foram quatro intervenções. Uma delas, aos 14 do segundo tempo, terminou com expulsão de Mbappé após uma dura entrada em Sarr, que teve até o meião rasgado e iniciou uma confusão. O jovem astro do PSG recebeu o vermelho direto e reclamou muito da decisão.

Bem antes deste lance, o time do Rennes comemorou muito o gol de Khazri aos 41 do primeiro tempo, mas o árbitro de vídeo foi acionado e ajudou o juiz a ver que o atacante dominou a bola com o braço antes de tocar na saída do goleiro Trapp. Portanto, gol bem anulado, apesar das reclamações do time da casa.

A segunda intervenção do VAR ocorreu aos quatro do segundo tempo: antes de ser expulso, Mbappé aproveitou rebote de Neymar e marcou, mas o árbitro optou por conferir a posição do francês no momento em que a bola sobrou. Impedido e anulado. O mesmo ocorreu aos 38, mas do outro lado: André estava irregular ao finalizar para o que seria o terceiro gol do Rennes.

Mas nem só de acertos viveu a arbitragem nesta terça-feira. Logo no início do segundo tempo, no primeiro minuto, Meunier parece tocar a bola com a mão para afastar escanteio do Rennes. Os jogadores anfitriões reclamaram muito, mas o árbitro nem sequer pediu a ajuda do vídeo.

Meunierzinho ou Meuninho?

Enquanto todos os olhares se voltavam para Neymar e Mbappé, a estrela do primeiro tempo foi outra. Aos 23 minutos, Meunier surpreendeu a todos e foi muito celebrado pelos companheiros ao carregar a bola pelo meio, levantar a cabeça e encobrir o goleiro Diallo em um belíssimo gol.

Marquinhos artilheiro

O mérito maior da jogada foi de Neymar e Di María, mas o zagueiro brasileiro também merece elogios por estar no lugar certo na hora certa. Após a finalização do argentino e a defesa de Diallo, Marquinhos pegou o rebote e ampliou aos oito do segundo tempo.

Lo Celso fez o terceiro aos 13, com chute que o goleiro adversário não conseguiu segurar, e fechou a conta para o PSG. O Rennes, no entanto, ainda viria a descontar com Sakho, aos 39, e Prcic, aos 47.

Neymar apagado, mas provocador

Quando Neymar tentou brilhar sozinho, pareceu um pouco afobado e foi bem marcado. Aos 39 do primeiro tempo, por exemplo, caiu na área e pediu pênalti de Traoré. Mas o que a arbitragem realmente viu foi falta do atacante.

Nos últimos minutos de jogo, ficou ousado, decidiu aplicar um chapéu sobre Bourigeaud e foi imediatamente puxado pelo marcador. A equipe inteira do Rennes partiu para cima do camisa 10, que cometeu falta logo depois e chutou a bola para longe, nervoso.

Após confusão que envolveu as duas equipes, o craque fingiu dar a mão para que Hamary Traoré se levantasse do gramado. Neymar, no entanto, tira o braço e se afasta no momento em que o lateral tentava segurá-lo.

Cavani não saiu do banco

Stephane Mahe/Reuters

O PSG foi para o jogo com sua escalação quase ideal. Quase! A mudança da vez foi a ida de Cavani para o banco de reservas, onde permaneceu durante os 90 minutos. O espanhol Unai Emery até o mandou para o aquecimento no segundo tempo, mas a expulsão de Mbappé e os dois gols do Rennes parecem ter mudado seus planos.

Lucas virou londrino

Na véspera do fechamento da janela de transferências, Lucas Moura não foi sequer relacionado para o jogo da Copa da Liga Francesa. Segundo a emissora Sky Sports, o brasileiro já foi para a Inglaterra para assinar contrato com o Tottenham.

Conforme apurou o UOL Esporte na última semana, o PSG queria 40 milhões de euros pelo jogador. O clube inglês, no entanto, pagaria um valor em torno de 25 milhões de euros pelo atleta de 25 anos, que já tinha ido a Londres para conhecer a estrutura do Tottenham na última semana.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos