Grêmio manteve segredo e fugiu de pacotão para fechar com centroavante

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/Defensor-URU

O Grêmio está muito perto de anunciar oficialmente seu sexto reforço em 2018. Gonzalo Carneiro, 22 anos, já foi submetido a exames médicos e depende da burocracia para ser confirmado pelo Tricolor. O nome dele apareceu primeiro em meio a um 'pacotão' que chegou a ser tratado na Arena, mas acabou permanecendo como único alvo nas semanas seguintes. E só vingou como transação após evolução de litígio no Uruguai.

Carneiro tem contrato com o Defensor-URU até 31 de julho e a renovação travou ainda no ano passado. Nesta temporada ele foi afastado com o desacerto e ao mesmo tempo seu estafe passou a procurar novo clube.

Apelidado de 'la joya', com tradução literal bem simples (a joia), Gonzalo foi oferecido ao Grêmio como peça de um pacote maior de negócios. À época a operação ofertada envolvia Guillermo Varela, lateral direito do Peñarol, e mais Facundo Batista, centroavante das categorias de base do Defensor. O Tricolor descartou o camisa 2, mas demonstrou interesse nos outros nomes. Ouviu que a liberação do clube chegaria, mas era preciso discrição.

Por quase cinco semanas, o Grêmio segurou todo tipo de informação a respeito de Carneiro. O segredo foi tratado como vital para o futuro do negócio. Sem interesse público, a operação não ficaria badalada e evitaria custos maiores. O nome do atacante não vazou e deu tempo para que os empresários se aproximassem do clube em Montevidéu propondo um acordo. Agora o acerto é visto como iminente.

O Grêmio deverá pagar cerca de 1 milhão de dólares (R$ 3 milhões na cotação atual) para ficar com a maioria dos direitos econômicos do jogador. O contrato de Carneiro com o clube gaúcho será de três temporadas. A assinatura vem precedida de elogios.

"Ele é maravilhoso, tem tudo. Tem 1,91m e com os pés é um jogador sensacional. É um jogador imprevisível. Ele teve grande repercussão aqui. Para mim, é uma das grandes figuras do futebol uruguaio e rapidamente poderá estar em um nível alto no futebol mundial", disse Eduardo Acevedo, treinador do Defensor-URU, à Rádio Grenal.

Acevedo foi o responsável pela afirmação de Gonzalo Carneiro. No ano passado, o Defensor negociou Maxi Gómez com o Celta-ESP e recorreu aos times da base para fazer a reposição. O esguio centroavante entrou como uma luva no time violeta.

"Ele é um jogador classe A, é um jogador diferente da média. Ele está acima dos outros. Carneiro vai para Europa rapidamente. Quando encontrei ele no time juvenil, vi rápido que era um atleta diferente", contou o treinador. "É algo difícil para um jogador tão alto, mas ele é habilidoso. Ele joga dentro da área, pelos lados e quando preciso pode voltar e jogar mais atrás. E claro, pela estatura, tem bom cabeceio. É um grande jogador", disse Daniel Jablonka, presidente do Defensor à Rádio Bandeirantes.

Na Arena os relatórios de Carneiro chamaram atenção justamente pela combinação rara. Altura e habilidade. O recurso técnico com a bola nos pés saltou aos olhos do Grêmio. Em 2017 ele marcou 10 gols no campeonato uruguaio, mas ficou fora das finais por lesão no púbis.

As dores na região pubiana fizeram o Grêmio enviar um médico a Montevidéu. Na viagem também foi André Zanotta, diretor executivo, com a missão de acertar os detalhes junto ao Defensor-URU. O plano é anunciar o reforço ainda nesta semana.

Sobrinho de Marcelo Zalayeta, ex-Peñarol e Juventus-ITA, Carneiro começou a carreira no Danubio e de lá foi para o Defensor. Do clube violeta não saiu mais, até agora.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos