Warley recebe alta e permanecerá em silêncio até conclusão do inquérito

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

Warley já está em casa. O ex-jogador e hoje dirigente do Botafogo-PB recebeu alta do Hospital Nossa Senhora das Neves (HNSN), em João Pessoa (PB) na manhã desta quarta-feira (31), por volta das 9h.

Alexandre Cavalcanti, diretor jurídico do Botafogo-PB, informou ao UOL Esporte que Warley 'fará fisioterapia por dez dias' e deve ser liberado para voltar aos trabalhos na próxima segunda-feira (5).

Ainda segundo o dirigente, Warley - que trabalha como diretor de futebol - está 'ansioso para voltar a trabalhar' e 'quer conversar logo com o time'.

A alta de Warley acontece quase cinco dias depois de ele dar entrada, na madrugada da última sexta-feira (26), no Hospital de Trauma com dois ferimentos no pulmão provindos de uma arma branca.

Na versão do ex-atacante, ele teve seu celular roubado e, ao descer do veículo para tentar recuperá-lo, acabou atingido com duas facadas.

Na última terça (30), porém, veio à tona outra versão, de um travesti acusado de ferir Warley. Segundo ele, que faz programas sexuais em João Pessoa, o ex-jogador acabou provocando o ferimento com um canivete, acidentalmente, depois de os dois se desentenderem pelo fato de Warley não querer pagar o programa sexual contratado.

Silêncio até conclusão do inquérito

Por orientação do delegado que investiga o caso, Diego Garcia, da Delegacia de Roubos e Furtos, Warley permanecerá em silêncio até que seja concluído o inquérito policial – o que deve acontecer na sexta-feira (2). Outras testemunhas serão ouvidas até lá.

Em sua trajetória profissional, que durou de 1997 a 2016, Warley passou por Atlético-PR, São Paulo, Grêmio, Palmeiras e Udinese, da Itália, entre outros. Após passagem pelo Botafogo-PB em 2013 e 2014, o atacante voltou para encerrar sua carreira no clube em 2016. Ele ainda disputou quatro partidas pela seleção brasileira.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos