Mano busca solução para o excesso de cruzamentos do Cruzeiro em 2018

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • © Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Fred tenta cabeceio em um dos 33 cruzamentos do Cruzeiro contra o América-MG

    Fred tenta cabeceio em um dos 33 cruzamentos do Cruzeiro contra o América-MG

O excesso de cruzamentos do Cruzeiro, sobretudo no primeiro tempo do jogo da vitória por 1 a 0 sobre o América-MG, incomodou o técnico Mano Menezes.

Nos 45 minutos iniciais, o time tentou 24 bolas aéreas, sendo 15 erradas e nove certas. O número de tentativas foi reduzido na etapa complementar. Foram oito equívocos e um acerto apenas.

O treinador ficou insatisfeito com o elevado índice de bolas elevadas na área adversária. Ele crê que os seus comandados precisam encontrar alternativas em situações como a do clássico contra o Coelho.

Questionado sobre o motivo pelo qual o Cruzeiro exagerou nos cruzamentos, Mano Menezes apontou a presença de Fred e o sistema de marcação do rival:

"As duas coisas. Nós, em determinados momentos do primeiro tempo, exageramos na bola levantada na área. A gente precisa trabalhar um segundo estágio e desmanchar o bloco que o adversário colocou lá dentro. E você desmancha com movimentações. Em três ou quatro momentos, o Ariel fez movimentações. Não colocamos a bola lá e preferimos levantar a bola. É isso que precisávamos fazer melhor e foi a tônica da nossa conversa no intervalo. Quando o adversário dá a linha de fundo, você costuma ir lá com mais frequência", declarou.

O curioso é que esta realmente tem sido uma tônica do Cruzeiro em 2018. O clube tem média de 21,2 cruzamentos errados e 9,6 corretos na atual edição do Campeonato Mineiro. A situação, contudo, ficou mais latente no jogo desse domingo (4), no Mineirão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos