Executivo ganha espaço e se torna braço direito de Renato no Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/Grêmio

    André Zanotta (centro) está mais ativo no mercado neste início de 2018

    André Zanotta (centro) está mais ativo no mercado neste início de 2018

André Zanotta, diretor executivo do Grêmio, começa 2018 sendo o principal representante do clube no mercado. A condição ficou ainda mais forte depois das recentes mudanças no departamento de futebol, que teve saída de dois dirigentes políticos e ainda não recebeu reposição. Ao mesmo tempo, o profissional se tornou uma espécie de braço direito de Renato Gaúcho. Ao longo das férias, os dois mantiveram contato diário e alinharam ideias para a temporada.

Zanotta foi contratado em março de 2017, depois da maioria das contratações do Grêmio para a temporada passada, e cuidou bastante dos processos internos do clube nos meses seguintes. Entre outras coisas, fazia o controle de itens do dia a dia e dava suporte logístico ao elenco e comissão técnica.

Agora, André Zanotta é uma figura mais voltada ao mercado, tanto para chegadas como para saídas. O protagonismo é fruto da adaptação ao clube e das alterações no futebol do Grêmio. Em janeiro, o Tricolor anunciou as saídas de Odorico Roman e Saul Berdichevski, vice de futebol e diretor de futebol, respectivamente.

Zanotta foi um dos representantes do Grêmio nos dois encontros com André Cury, emissário do Barcelona, na negociação pelo volante Arthur. Ao lado do executivo esteve Carlos Amodeo, CEO do clube gaúcho.

Também foi André Zanotta um dos mentores do contato do Grêmio ao Sport pelo centroavante André. Os xarás trabalharam juntos no Santos e possuem boa relação. O convívio do integrante remunerado do departamento de futebol é elogiado por pessoas do clube e do mercado. Com formação acadêmica e conhecimento técnico, ele é apontado como uma figura sóbria e criativa na hora de compor cenários.

Passaram pelas mãos dele, diretamente, as soluções para casos como Michael Arroyo, Felipe Tontini, Wallace Reis e a contratação de Madson, lateral direito que estava no Vasco.

Renato Portaluppi se aproximou de Zanotta ainda na temporada passada, passando da relação protocolar para conversas profundas e com detalhes sobre o dia a dia e planos para o time. Durante as férias, o treinador e o executivo mantiveram contato quase diário para alinhar nomes que poderiam ser contratados e situações dentro do elenco a serem tratadas. Como renovações com demandas de atletas específicos para o retorno a Porto Alegre.

De volta aos treinos, o Grêmio teve em seu executivo um dos primeiros a bater ponto no CT antes das atividades. E as viagens necessárias para negócios foram sempre precedidas por briefings à comissão técnica e cúpula do clube, em especial ao presidente Romildo Bolzan  Jr.

Apesar da posição diferente em relação ao início de sua trajetória no Grêmio, André Zanotta segue sendo figura distante do contato diário com a mídia. Essa postura é valorizada pelo clube, que deve definir nas próximas semanas mais dois nomes para compor o departamento. A missão dele será justamente essa, fazer a conexão política com o lado remunerado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos