Antes baladeiro, Egídio quase morou com R10 e largou a noite pela mulher

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Reprodução Intagram

    Ronaldinho Gaúcho e Egídio são amigos desde os tempos de Flamengo

    Ronaldinho Gaúcho e Egídio são amigos desde os tempos de Flamengo

Velho conhecido da torcida do Cruzeiro, Egídio assumiu a titularidade do time de Mano Menezes após três anos de altos e baixos no Palmeiras. Voltar a Belo Horizonte é, para o lateral, relembrar o fim da sua agitada vida de solteiro. Parceiro de Ronaldinho Gaúcho em noitadas nos tempos de Flamengo, ele decidiu, na capital mineira, mudar de vida. Foi lá que ele se afastou das festas, recusou um convite para viver com o amigo e conheceu Thaysa Araújo, hoje sua mulher. Se ele está de volta à cidade cinco anos depois da primeira passagem, a culpa também é dela... 

A vida de festas teve seu auge durante a passagem pelo Flamengo, especialmente no decorrer da passagem de Ronaldinho Gaúcho pela Gávea. Ao lado do camisa 10, Egídio trocava a noite pelo dia no Rio de Janeiro. Ficou tão amigo do craque que vivia grudado a ele em terras cariocas. As farras se tornaram cada vez mais frequentes. Não à toa, acabou emprestado ao Ceará e, depois, ao Goiás. O comportamento extracampo fez com que ele disputasse apenas 43 partidas pelo clube do Rio de Janeiro.

Em 2013, Egídio teve a chance de defender as cores do Cruzeiro e recebeu, junto com a proposta, um convite inusitado. Ronaldinho queria que o lateral morasse com ele na capital mineira.

Reprodução Instagram
Egídio ao lado da esposa Thaysa Araújo

Ciente de que esta poderia ser a última chance em um grande do futebol nacional, ele não teve dúvidas. Deu logo uma resposta negativa ao amigo. A vida de festas não foi totalmente abandonada. Em uma delas, porém, conheceu a mineira Thaysa Araújo e se apaixonou.

A namorada fez com que ele mudasse completamente. A nova vida, mais caseiro, coincidiu com o melhor momento da carreira - quando faturou o bicampeonato brasileiro. Apaixonado, se casou em março de 2014.

Vendido para o Dnipro, da Ucrânia, em janeiro de 2015, ficou pouco tempo na Europa e voltou ao Brasil no mesmo ano. A oportunidade, agora, era no Palmeiras, onde ficou por três anos, mas só teve atuações de destaque no primeiro.

Depois de duas temporadas sem muita badalação, recebeu ofertas do Cruzeiro e de times do exterior, mas dois fatores fizeram com que ele optasse pelo retorno à capital mineira: o pedido da esposa para voltar a Belo Horizonte e o desejo de voltar ao clube com o qual mais teve identificação e sucesso.

Thaysa pediu a Egídio que dissesse "sim" ao Cruzeiro. A chance de voltar para casa e ficar perto de sua família foi preponderante. As negociações não duraram nem uma semana sequer. A vontade do lateral esquerdo pesou e o empresário Eduardo Uram alinhavou o acordo rapidamente com Itair Machado, vice de futebol do clube. Agora, Egídio já é titular absoluto do time de Mano Menezes. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos