Alessandro tem voto de confiança de Andrés e segue, mas futuro gera dúvidas

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Alessandro completou 10 anos pelo Corinthians no mês passado

    Alessandro completou 10 anos pelo Corinthians no mês passado

Com permanência ameaçada em função de episódios na temporada 2016, o gerente de futebol Alessandro Nunes recebeu um voto de confiança do novo presidente Andrés Sanchez para seguir no Corinthians em um primeiro momento. Amparado pelo trabalho que culminou em dois títulos em 2017, o ex-capitão corintiano agora terá a missão de convencer o novo chefe.

A pessoas próximas, Andrés é cauteloso sobre o nome de Alessandro e as perspectivas de que ele poderá seguir no cargo ao longo de toda a temporada. Mesmo assim, em reunião na última terça (6) no CT Joaquim Grava, Sanchez reforçou ao gerente que ele está mantido e irá trabalhar ao lado do novo diretor de futebol adjunto, Duílio Monteiro Alves, e de um diretor de futebol ainda a ser escolhido.

Contratado pelo então presidente Andrés Sanchez em 9 de janeiro de 2008, portanto há pouco mais de uma década, Alessandro construiu história no clube como jogador a erguer os troféus da Copa Libertadores e do Mundial de Clubes. Recebeu em 2013, quando preparava a aposentadoria, um convite do próprio Sanchez para que se tornasse coordenador técnico, o que foi prontamente aceito pelo mandatário da época, Mário Gobbi.

A relação entre Sanchez e Alessandro se desgastou quando Roberto de Andrade decidiu contrariar a posição de Andrés e aliados para contratar Oswaldo de Oliveira. Fiel ao presidente durante o episódio, Alessandro atraiu a antipatia daqueles que não gostariam que o treinador retornasse. Historicamente, no departamento de futebol, o gerente recebe elogios por se manter alheio à parte política do clube, sempre efervescente.

Mantido por Roberto no cargo apesar dos pedidos para que fosse demitido, Alessandro realizou trabalho elogiado ao longo de 2017 e fez com que Andrés decidisse dar a ele uma chance. Entre os pontos avaliados está o ônus negativo pela demissão de um profissional campeão brasileiro e com mais de dez anos de serviços prestados ao Corinthians.

Como será agora?

Gerente desde que Edu Gaspar foi à CBF, durante a temporada 2016, Alessandro sempre trabalhou em perfeita sintonia com o presidente Roberto de Andrade e o diretor de futebol Flávio Adauto, que assumiu meses depois. No departamento de futebol do Corinthians, porém, há dúvidas se esse sincronismo vai ter sequência.

Considerado um presidente de perfil distinto, Sanchez normalmente tomou decisões no futebol baseado nas próprias percepções. Durante os dois primeiros anos como mandatário, não teve um executivo no departamento. Em 2011, contratou William Capita para ser gerente, mas determinou sua saída dias depois por diferenças em negócio pelo então volante gremista Willian Magrão. Logo depois, optou por Edu Gaspar, que teve vida longa no cargo.

Confiante na fidelidade e dedicação de Alessandro, Andrés deve agora observar as primeiras semanas do gerente no cargo para ver o funcionamento ao lado de Duílio e um novo diretor, cujo nome ainda será definido. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos