Sincero, Valdívia fala que não é mais 'pika' em apresentação no São Paulo

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • José Eduardo Martins/UOL

    O meia atacante já treinou com os novos companheiros de São Paulo e foi apresentado nesta sexta

    O meia atacante já treinou com os novos companheiros de São Paulo e foi apresentado nesta sexta

Valdívia falou com a imprensa pela primeira vez como jogador do São Paulo. Nesta sexta-feira (9), no CT da Barra Funda, o meio campista foi apresentado oficialmente como o sexto reforço do clube nesta temporada pelo diretor de futebol Raí. O jogador, de 23 anos, já treinou com os novos companheiros nos últimos dois dias. Sincero, o jogador fez uma análise rápida de sua carreira e vislumbra evoluir na nova casa.

"As coisas no futebol acontecem muito rápido, só tenho cinco anos na carreira. Já aconteceu de tudo. Fui para cima, fui o 'pika', depois o pouco 'pika', agora estou no meio. Junto comigo está o São Paulo, um clube muito grande, estou feliz de estar aqui, vou me doar ao máximo, tenho qualidade, a confiança que a diretoria me passou, isso é bom, porque tem pessoas que jogaram futebol (nesses cargos), é mais fácil de lidar com esses caras, porque eles entendem o nosso lado. Mas a cobrança é maior, porque ficam mais perto e então tem de estar bem. Vim um pouco desacreditado, mas a comissão, diretoria e jogadores confiam. Eu também confio em mim. Então, é ser feliz".

O atleta tem vínculo com o clube até o fim desta temporada, sendo que o Tricolor terá opção de compra após este período. O meia atacante estava no Atlético-MG, com o qual tinha vínculo até maio, mas não era regularmente utilizado e foi liberado para negociar com os paulistas. Por isso, a operação não teve custo para o São Paulo, que vai ter de desembolsar R$ 250 mil de salário para o jogador.

O jogador sofreu uma lesão quando defendia a seleção olímpica e estava no auge da carreira, pelo Internacional, em 2015. Por isso, precisou ser submetido a uma cirurgia no joelho esquerdo. Depois, teve dificuldade para engatar uma sequência boa de jogos. Pelo Atlético-MG, em 2017, ele disputou 31 jogos e marcou dois gols, sendo criticado pelo público e até mesmo não relacionado para alguns confrontos neste início de temporada.

"Sempre falei sobre isso. A lesão sempre é ruim. Ainda mais porque estava no auge da carreira, tive a lesão na seleção olímpica. Atrapalhou claro, fiquei oito meses parado, faz um ano e meio que voltei a jogar. Mas, depois da lesão, passei a trabalhar mais a parte física. Não sinto dor nenhuma, estou muito bem. O trabalho aqui no São Paulo também vai ser bom para mim. Na minha vida sempre fiz por merecer, por isso sou o Valdívia. Não acho que caiu tanto assim [o futebol], os gols não saíram. Estou acostumado a fazer golaço, mas está difícil em falar gol feio", brincou o jogador.

A contratação era uma solicitação do treinador Dorival Júnior, que enxergava a necessidade de o elenco contar com mais um atleta de velocidade que atue pelas beiradas do campo. 

"A indicação traz mais responsabilidade, mas dá confiança para desenvolver um bom futebol. Isso não quer dizer vou jogar. Ele só pediu. Vou ter de demonstrar dentro de campo que posso jogar", disse o reforço.

A previsão é de que Valdívia esteja apto para estrear após o Carnaval, na quinta-feira, contra o CSA, em Alagoas, pela Copa do Brasil. Além do meia atacante, o São Paulo contratou para esta temporada o goleiro Jean, o zagueiro Anderson Martins, o meia Nenê, e os atacantes Diego Souza e Tréllez.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos